sábado, dezembro 22, 2007

Dicas para comprar hardware

O objetivo deste post é descomplicar a vida de quem quer comprar ou dar uma melhorada no PC, evitando que sejam passados para trás por "aquele bom vendedor".

Um microcomputador é um conjunto de peças e sendo assim ele será tão rápido quanto sua peça mais lenta. Repito: um computador é tão rápido quanto sua peça mais lenta. Fez sentido?

Geralmente o que é informado é a velocidade de processador, a quantidade de memória, a capacidade do HD e firulas outras só pra encher lingüiça. Então se for gastar, abra o olho para não ser passado pra trás.

Comece pela placa-mãe.
Fuja de placas on-board (aquelas que já trazem tudo embutido). Simplesmente fuja delas.
Elas são significativamente mais baratas, mas a qualidade é péssima e quando um componente de defeito, lá se foi seu computador quase que inteiro para o lixo, já que não tem como trocar apenas uma pecinha ou plaquinha.
Tão importante quanto ter uma placa off-board, é saber se ela não vai te deixar lento. Fique de olho numa peça que se chama chipset. Pergunte ao vendedor. Se ele não souber responder procure outra loja.
Observe qual a freqüência que o chipset (ou FSB) pode operar. Essa é a velocidade máxima que o processador pode usar para conversar com a memória e com o resto das peças. Se O processador tem 400MHz de velocidade externa, a memória também, mas o chipset tem apenas 333MHz, o chipset será o gargalo do sistema.


Sobre o processador.
O processador é uma das peças mais importantes do computador, isso se não puder ser considerada a mais importante. Mas como dito acima nem tudo é só velocidade. Peça para saber a quantidade de memória cache do processador. Aqui, quanto mais, melhor. Aliás, essa é uma das grandes diferenças entre processadores de primeira e segunda linha (por exemplo Pentium x Celeron, Athlon x Sempron...).
Então anote aí: muita memória cache e velocidade de FSB (aquela com a qual ele vai falar com o resto das peças).

Memórias
Sem muito segredo, quantidade e velocidade são mandatórias para a avaliação. A velocidade é aquela com a qual a memória poderá conversar com a placa mãe e o processador. Quantidade vale a regra de quanto mais melhor.

Placa de vídeo
Isso é papo pra dias, mas vamos encurtar a história. Muita memória, velocidade e principalmente marca do processador (sim, tem um processadorzinho embutido nela e memória também). Pegue alguma placa com processador da NVidia ou da ATI, e sua vida ficará mais fácil.

Sobre outros dispositivos
Tudo o que você puder comprar em placas separadas e com processador e memória próprios é um bom investimento. Isso vai poupar o processador principal e a memória. É uma pena que estes dispositivos estão cada vez mais raros de se encontrar.

Recapitulando
No processador confira quantidade de memória cache e de velocidade do FSB.
Na placa-mãe (off-board) confira o chipset e a velocidade com a qual ele opera.
Nas memórias confira a velocidade com a qual elas operam.
Placa de vídeo só se for da ATI ou da NVidia.
Se possível compre outras peças que contenham processador próprio.

Valorize seu investimento.

As empresas brasileiras estão preparadas para ter um site?

No Brasil a maioria das pequenas e médias empresas não são incluídas digitalmente. Não estou falando de ter um site, mas sobre a falta de doutrina e cultura digital que se verificam nas mesmas.

A idéia de ter um negócio online, poder ser visto em qualquer parte do mundo, aumentar a renda, agilizar processos e todos os outros benefícios chamam a atenção de muitos empreendedores. Mas ao contrário do que se faz com um "negócio real", colocar o negócio na internet é tratado pelos mesmos com displicência: basta pagar o amigo daquele técnico que arruma o computador que terei minha empresa - serviços e produtos - na internet.

Inclusive o mercado de profissionais que fazem este tipo de serviço (analistas, programadores, arquitetos de informação) é muito ruim no Brasil (e na América Latina como um todo), mas não vou divagar sobre este lado da moeda - isso é assunto para outra ocasião.

Antes de colocar o negócio na web um empreendedor interessado em fazê-lo deveria considerar algumas questões que, até mesmo por falta de conhecimento das mesmas, poderá levar este investimento a ser um fracasso, gerando frustração e um ceticismo exagerado.

Em primeiro lugar tenha alguém com alguma experiência em TI dentro da sua empresa.
É impensável apenas fazer o site e não administrá-lo. É o mesmo que alugar ou comprar um salão comercial, contratar uma empreiteira para fazer a infraestrutura e depois largar tudo às traças.
Pode parecer óbvio demais, mas não são poucos os sites onde o responsável sequer entra para conferir as vendas ou os contatos feitos pelos visitantes.
Um website tem a capacidade de reunir em um só lugar recursos de marketing e administração e cabe ao empreendedor saber cuidar disso. Um website tem que ser uma extensão da empresa e assim deve-se ter alguém responsável pela rotina do site dentro da sua empresa.

Os papéis de cada um.
O papel do desenvolvedor, a grosso modo, é criar aquilo o que o cliente quer, cuidar de manutenções do sistema, corrigir erros e incluir novas funcionalidades conforme solicitação do cliente.
A empresa deve cuidar do conteúdo. Imagens, textos, informações, usuários quando houver, vendas, resposta aos contatos, etc.
Não pense que o desenvolvedor é obrigado a saber mais sobre sua empresa do que você mesmo.

A questão do preço.
Tudo tem seu preço. Um site bom de verdade não sai barato, mas tende a ter um ROI (retorno sobre investimento) maior. Pense nisso com carinho. Azar o seu se optar por fazer site com o primo do técnico por R$ 200,00 e que ficará pronto em 5 dias.
Como eu disse previamente, há uma escassez de profissionais realmente qualificados e idôneos. Um site bem feito, necessita do trabalho de mais de um profissional.

Como você será divulgado na web?
Aqui está um ponto-chave. Extenso e que pouca gente fala. Questione os desenvolvedores sobre isso.
Há a publicidade paga - onde você paga para ter um anúncio. Pode ser um banner num site conhecido ou pode ser anúncio direto nos buscadores (como o Google e o Yahoo!).
E há a questão de estar bem colocado nos buscadores - quando algum usuário procura por determinada palavra ou expressão o seu site aparece entre os primeiros resultados.
Esta última opção interessa muito aos empreendedores justamente por reduzir gastos, no entanto requer muitos cuidados e conhecimentos do desenvolvedor, além de muita disciplina por parte do empreendedor, pois aqui é onde será feita a distinção do resultado do trabalho conjunto de ambas as partes.
Inclusive existem profissionais especializados em realizar este tipo de tarefa, que geralmente não é fácil, necessitando desde uma reescrita do sistema até uma reeducação das empresas (e este último ponto estou esclarecendo neste post).
Como um investimento, a questão da divulgação requer análise. Muitas vezes compensa iniciar juntamente com o site uma campanha paga e reduzí-la conforme o site sobe nos rankings.

Palavras finais
Então amigo, se você é um empreendedor, tem um site e está insatisfeito com o resultado por ele proporcionado, lembre-se que pode ter havido muitos pontos importantes que não foram observados, e que se corrigidos podem trazer agradáveis conseqüências ao seu negócio. Se você não tem um site, mas pensa em ter um, observe os pontos citados para evitar dor de cabeça depois.

F1 - passou em branco

Acabou a temporada 2007 há meses e nem escrevi nada até agora.

Mas vamos lá. Acho que o título do Kimi foi merecido. Fosse pela antiga pontuação (que privilegiava as vitórias e não a regularidade) ele nem precisaria de esperar os problemas que Hamilton sofreu nas últimas corridas. Kimi fez uma segunda parte da temporada muito boa.

Hamilton, é um ótimo piloto. Muito bom mesmo. Mas não é um fenômeno. Pra mim o título de revelação do ano vai para Sebastien Vettel. O piloto de testes da BMW, de 19 anos, que foi emprestado para a STR nas últimas corridas para cobrir o lugar de Scott Speed colocou um carro péssimo atrás apenas de McLarens e Ferraris. É mais fácil ser campeão com uma McLaren do que andar em quinto com uma Toro Rosso.

Hamilton apesar de ser um bom piloto e muito regular foi protegido, blindado e guiado durante esta temporada. Basta lembrar do incidente no GP do Japão, onde os break tests irresponsáveis de Hamilton tiraram Webber e Vettel da corrida. Na minha opinião aquilo foi um absurdo.

A transmissão japonesa não captou a cena. Vettel foi dado como culpado do acidente e sua punição seria largar 10 posições atrás no GP da China. Até que um vídeo amador circulou pela web, e mostrava exatamente o que aconteceu, com o piloto da McLaren fazendo um irregular break test sob Safety Car.

Mesmo sem o acidente Hamilton estava errado, visto que ele ultrapassou a distância máxima permitida pelo regulamento do Safety Car.

O que aconteceu depois que a verdade veio à tona? A punição de Vettel foi suspensa e só. Hamilton deveria ter sido punido pela manobra irregular, por ter afetado a corrida de dois pilotos e por ter colocado a segurança de outros em risco.

Bem chega de falar do inglês. Um pouco de adrenalina não faz mal a ninguém e isso eu vi um pouco mais atrás do grid. Pegas entre Massa e Kubica no Japão, Kubica e Kovalainen na Bélgica, Kubica e Rosberg no Brasil... isso sim valeu ter assistido ao campeonato! Os carros entrando de lado nas curvas, pneus travando, ultrapassagens...

Que venha a temporada 2008!

Olha eu voltando aí...

Olá pessoal. Faz tempo que não publico nada não é mesmo? Não foi por falta do que falar ou por falta de vontade. A questão era tempo.

Tempo, recurso valioso este em nossa vida e temos que saber usá-lo. Andei trabalhando bastante e aprendendo muito - muito mesmo.

Agora, por um breve período de folga, creio que posso sintetizar muitas idéias que passaram sem ser publicadas durante os últimos meses.

Let's go.

Andei dando uma olhada nas estatísticas fornecidas pelo Google Analytics e o resultado foi o esperado: muita gente ainda cai aqui de pára-quedas procurando informações sobre a Perdigão Agroindustrial SA, o post de maior sucesso é aquele sobre sexo bem feito (muitas pesquisas relacionadas a sexo e preliminares também trouxeram muitos visitantes), o pessoal que passou mais tempo lendo foram os interessados em assuntos mais sérios (política, economia, meio ambiente, etc), e ainda tem gente procurando o Eldorado dos Hackers e o Cumpade Washington.

O número de pessoas que responderam a milenar enquete que estava aqui foi menor do que eu esperava. Continuarei escrevendo sobre tudo o que gosto. Sobre automobilismo, sei que há referências muito melhores que a minha, no entanto acho que meus pitacos ainda vão aparecer por aqui. Sobre música e artes acho que raramente voltarei a publicar algo, só se for algum daqueles posts que escrevo após uma visita do meu irmão. Sobre o resto, sim escreverei normalmente. Com uma ressalva: sobre meio ambiente (a segunda opção mais votada na enquete) recomendo que leiam o blog do Serafa (http://www.sustentabilidade.zip.net).

Estou a anos-luz de ter o mesmo conhecimento e qualidade sobre este assunto (aliás é raríssimo encontrar algum material em português ou mesmo em inglês que tenha a qualidade do que ele publica - parabéns Serafa). Assim, vou me restringir a algumas observações e pitacos sobre o assunto.

Abraços.

quinta-feira, outubro 04, 2007

Estação de trabalho

Muitas são as ferramentas que nós programadores precisamos usar. Seja a trabalho, a estudo ou por pura miséria, bons editores e suporte nunca vêm mal.

Nos últimos tempos andei experimentando muita coisa. Linguagens, editores, kits, suits, ferramentas diversas... E cheguei numa lista muito boa que pode dar a quem quer uma excelente plataforma de desenvolvimento. Comecei com meu desejo de ter uma estação LAMP (Linux/Apache/MySQL/PHP), e até publiquei um post aqui sobre isso, e hoje cheguei em algo que considero ideal. Por motivos óbvios não me prenderei a explicar o passo-a-passo da instalação de cada ferramenta - documentação, faq's, fóruns, google, guias e tutoriais servem para isso.

Em primeiro lugar, você irá precisar de uma distribuição Linux. O sabor fica por conta do freguês. Se não quiser dor de cabeça vá com o famigerado Ubuntu. Meu gosto é Debian-based, mas nada te impede de usar outro.

Vou começar com os editores, afinal, neles é onde passamos a maior parte do desenvolvimento. Eis minhas sugestões:
- Eclipse + Aptana + PDT + RadRails + RDT
Excelente plataforma para desenvolvimento em Java. Oferece uma ótima interface para edição, gerenciamento de projetos, navegação de classes, depuração... Os plugins dão um tune-up no danado, tornando apto a desenvolvimento para web (PHP, SQL, XML, Javascript, Ruby, Python...).

- Quanta Plus
Baseado no KDE, também é uma ótima ferramenta para desenvolvimento e gerenciamento de projetos. Destaque para a navegação de classes, pelo suporte a zilhões de linguagens (abrange desde HTML, Javascript e PHP até Assembly, C e VHDL) e por ser extremamente leve e rápido quando comparado a outros editores do mesmo calibre como o Eclipse e o Zend Studio. Se você usar o KDE, também pode optar por instalar o resto das ferramentas de desenvolvimento.

- Bluefish
Muito amigável e cheio de funçõezinhas marotas, também permite gerenciar projetos (não tão bem quanto os anteriores) e é bem leve. Não tem navegação de classes, mas é muito bom para desenvolvimento de soluções rápidas e projetos curtos.

- VIM
Um clássico. Um must have dos editores. Passam-se as décadas e ele continua firme, forte e poderoso - vai cada vez mais além. Exige conhecimento prévio de seu funcionamento, opera em modo texto (nem preciso falar que é muuuuuito leve) e tem recursos ótimos para edição. Não tem gerenciamento de projetos, muito menos navegação de classes, mas cai como uma luva nos momentos críticos e em projetos pessoais. Vale a pena ter esse às na manga. Já vem disponível em quase todas as distros.

- EMACS
Outro clássico. Porém este está disponível em versão gráfica também. Tem muitos recursos similares ao VIM, e conta com uma série de extensões e funcionalidades extra. Já vem disponível em muitas distros Linux.

De editores está bom. Esta "pequena" lista dá conta de meses de diversão, aprendizado, produtividade e horas agradáveis bebendo café. Vamos agora às ferramentas para se trabalhar com gráficos.

- The GIMP
Não poderia deixar de começar a falar de softwares para tratamento e edição de imagens sem ser pelo GIMP. Já vem instalado em quase todas as distros. Permite a criação e edição de imagens em diversos formatos, tem plugins a dar com pau, é programável (em LISP!) e tem muitos poderosos recursos nativos. Creio que não sou mais apto a falar sobre gráficos, mas seu uso vai desde criação de layouts e imagens, até o tratamento de fotos.

- Inkscape
Ilustrador vetorial, trabalha basicamente com o formato SVG. Muito leve e intuitivo. Ideal para criar "aquele" botãozinho, ou "aquela" barrinha, ou ainda alguma figura não muito complexa.

- Blender
Modelador 3D. Não adianta eu ficar falando que é poderoso e coisa e tal, vamos aos fatos: a Pixar e a DreamWorks usam ele. Shrek Terceiro e Spider-Man 3 figuram entre as obras que têm uma mãozinha dele. Sua curva de aprendizado é ligeiramente maior. A curva de produtividade é exponencial.

- Scribus
Programa de editoração. Para criar documentos e diagramas com altíssima qualidade. Que uma coisa fique bem clara neste ponto: documentos Office (seja lá de qual pacote estejamos falando) são bons para troca de informações e tal; para apresentações a qualidade deve ser superior e o Scribus entra exatamente aí.

- FontForge
Serve para criar fontes, como o próprio nome sugere. Às vezes não encontramos uma fonte adequada (e, acredite, elas fazem diferença, e muita) para um layout, apresentação, etc... O FontForge permite a criação de uma fonte desde o zero, ou a edição de alguma fonte já existente.

Falemos agora dos navegadores. Isso é especialmente interessante a quem desenvolve conteúdo para web, ou para quem quer experiências novas ao navegar.

- Firefox 2.0 + Web Developer + Firebug
O kit perfeito para desenvolvedores de aplicações web. Essas duas extensões fazem o diabo. Este é um outro must have, um kit de sobrevivência.

- Opera 9
Tá bom, não chega aos pés do Mozilla Firefox e seus plugins no que diz respeito a desenvolvimento, mas o Speed Dial e a organização automática de janelas são recursos interessantes e úteis. Ele também tem os mouse gestures como diferencial.

- w3m
Navegador em modo texto, com suporte a abas!

- lynx
Clássico navegador em modo texto. Talvez vocês estejam se perguntando "- Mas por que navegadores em modo texto?". Se você é desenvolvedor web e se preocupa um mínimo com acessibilidade, navegabilidade e principalmente com o desempenho em sites de busca, precisa ver como os spiders enxergam seu site. Se você não desenvolve para web, mas sempre teve vontade de obter informações mais rápido, sem se preocupar com banners, imagens, etc... experimente.

- MS Internet Explorer
Uma triste realidade é que uns 70% de usuários de internet usam esse navegador. Criar um layout bonitão no Firefox, validado pela W3C, e tudo mais não significa que ele vai renderizar bonito do IE. A recíproca também é verdadeira - nem todo site bem visível no IE é exibido corretamente em outros navegadores. Isso é uma das coisas que ainda atormentam muitos webdesigners. Ter o Internet Explorer instalado - não para navegar, mas para conferir a renderização do layout - é uma necessidade; deixar o Windows numa partição da sua máquina SÓ para isso também é desperdício de recursos. Mas nem tudo é o fim. Existe um pacote chamado ies4linux, criado por um brasileiro, que facilita a vida de quem vive disso. Você pode instalar os IE5, IE5.5 e IE6 (a instalação do IE7 ainda está em fase experimental e altamente instável) de forma rápida e fácil.

Ainda não há formas eficazes de se ter uma instalação funcional e estável do Safari (navegador padrão da Apple) no Linux. Isso sim é uma pena. Se for pra deixar uma instalação do Windows na sua máquina, então faça o favor de instalá-lo. O Safari é um dos navegadores mais bacanas e bonitões que existem.

Vamos aos servidores que fazem muito do trabalho também.

- Apache 2
Assim como não pude iniciar a falar de gráficos sem começar pelo GIMP, também não posso começar a falar de servidores senão pelo Apache 2. O servidor mais famoso do mundo, estima-se que quase 75% dos sites do mundo inteiro estejam hospedados em servidores rodando Apache. Cheio de recursos, estável e poderoso, é um dos must have.

- MySQL 5
O mais famoso dos servidores de bancos de dados OpenSource. Na versão 5 e superiores conta com muitos recursos poderosos que faltavam antes como Stored Procedures, Views, Triggers...

- PostgreSQL 8
Nem tão famoso, mas com recursos muito legais como a herança em tabelas e a fama de ser o tal nas missões críticas. Bate de frente sem fazer feio com outros servidores parrudões como Oracle e DB2.

- Tomcat 5
Servidor de servlets Java e páginas JSP. Também é da Apache Foundation. Recomendo instalá-lo sobre o Apache 2.

- Mongrel
Servidor HTTP para aplicações Ruby. É interessante usar o mod_proxy_balancer no Apache 2 e acessar as páginas nativamente hospedadas no Mongrel pelo Apache.

- Sendmail
Clássico servidor de e-mails do mundo Linux. Tê-lo vai ajudar a criar um ambiente de testes mais real para aplicações e processos web que se valham do envio de e-mails.

E para finalizar a lista das linguagens, que são o coração de tudo isso.

- PHP 5
Precisa dizer mais?

- Ruby + Rubygems + Rails + Goldberg
Ruby é a linguagem propriamente dita. O Rubygems é um gerenciador de pacotes para Ruby. O Rails é o framework mais famoso do momento. E o Goldberg é um generator para Rails. Com esse kit dá pra fazer um site, com tudo o que um site tem direito, muuuuito rápido.

- Perl
Isso já vem na maior parte das distros. Consta aqui só pra você não esquecer que ela existe - e faz muitas coisas do seu Linux funcionar. Além disso ela também é bem flexível e poderosa.

- Java (JDK)
Precisa dizer mais?[2]

- Scheme e CLISP
Implementações LISP. Dá pra fazer um servidor de bancos de dados com umas 40 linhas desse troço, acredite. Também pode ser usado para escrever plugins do GIMP :D.

- Python
Corre por fora. Poderosa. Simples e eficaz para se fazer e desenvolver muita coisa.

- Pacote build-essentials da GNU
Já vem instalada na maioria das distros. Com ele você pode usar o make, o gcc (para linguagem C), gpp (para C++), o gcj (o Java da GNU), o as/gas (GNU Assembler) e mais uma porrada de linguagens. Tem compiladores, interpretadores, linkers, bibliotecas... enfim, realmente muita coisa para cair de cabeça na programação.

Posso citar ainda por fora tcl/tk, AWK, mas aí já fica a critério de cada um e não as considero indispensáveis. É isso aí pessoal.

Té+

sábado, agosto 25, 2007

Formula 1 - 2007 - desenhando o cenário

Campeonato incomum. Muito incomum. Na verdade, o mais incomum de todos os tempo.

Antes de falar das duas estrelas (McLaren e Ferrari), vou dar um giro no resto do grid.

Três equipes correm destacadas de todo o resto. Honda, BMW e Spyker.

A Spyker, como era de se esperar, teve o pior desempenho do campeonato. Os fatos que merecem destaque sobre ela são: atropelaram e mataram um roedor no Canadá; Yamamoto depois de muito tempo assumiu um banco e fez muito feio como era de se esperar; colocaram espaços de publicidade nos carros à venda no eBay, e as vendas foram muito mal, como também era de se esperar.

A Honda desenvolveu muito mal o carro. Túnel de vento descalibrado? Tudo bem, mas matar o Barrica e o Button é sacanagem. Barrichelo nunca foi um às com ar de campeão, mas está longe de ser tão ruim como os japas. Aliás, quando não há como competir com outros times, o melhor parâmetro para avaliar o desempenho é o próprio companheiro de equipe. E nesse ponto o Barrichelo foi ligeiramente melhor que o Jenson Button (que também é um bom piloto).

A BMW, forma um pelotão de dois. Mais rápido que todo o resto e menos que as estrelinhas do circo. Kubica e Heidfeld correm um contra o outro, sob a tutoria de Mario Theissen. A BMW declaradamente quer brigar pelo título daqui a dois ou três anos. E se a evolução continuar assim creio que isso não seja factível.

Das estrelas começo com a Ferrari. É nítida a falta que Ross Brawn, o homem das contas malucas, está fazendo. O gnomo de jardim Jean Todt continua enfeitando os paddocks do mundo sem acrescentar muito à equipe. Também dá pra sentir a falta de um campeão desenvolvendo o carro, apesar do trabalho de Massa e Raikkonen estar muito bom. Creio que eles fazem melhor, e isso não é pouco.

Agora, dentro da super-hiper-duper-mega-plus-ultra-flex prateada equipe que vai papar o mundial este ano há muito o que dizer. E não é do escândalo. Ron Dennis perdeu uns 5 anos de vida por conta das picuínhas e do clima tenso.

Lewis Hamilton, a grande estrelinha, pupilo de Dennis, foco da mídia, se queimou. Pode faturar o campeonato, mas sem glórias. Depois do "fuck you" a Ron Dennis, ele não vai conseguir nenhum assento junto a Briatore, Todt e Theissen. A insubordinação, o fato dele achar que é o dono da equipe, creio que que foi extremamente prejudicial à sua imagem. Mesmo na época Senna-Prost, onde a rivalidade incendiava a McLaren, nunca se viu uma coisa dessas.

Fica sempre sob as asas do papai, usa a telemetria do atual bicampeão mundial e não respeita nem que o colocou no cockpit onde se encontra e paga seu salário.

Nunca gostei muito do jeito do Alonso, meio arrogante, mas verdade seja dita, ele trouxe uns belos 6 ou 7 décimos de segundo no desenvolvimento do carro. Acho correta a indignação dele com a equipe e com o companheiro.

Hamilton pilota bem, mas se não fosse por Alonso contribuir com o desenvolvimento e a telemetria duvido que hoje ele estivesse liderando o campeonato.

O que me deixa mais puto é o estardalhaço em cima do "fenômeno" Hamilton, como se ele fosse o fodão. Aposto que se Kubica, Nico Rosberg, Jenson Button, ou mesmo Alonso e Raikonnen tivessem tido o mesmo apoio no início de carreira também não fariam muito diferente. Digo mais: acredito piamente que teriam feito melhor.

Do resto só destaco a saída (tardia) de Scott Speed e o nem-fode-nem-sai-de-cima do Heikki Kovalainen.

Speed, que nunca fez jus a seu sobrenome, era um baita arrogante, que se achava a última empada da festa e nunca ajudou a Toro Rosso a desenvolver o carro, nem pilotou melhor do que Liuzzi (que não é lá essas coisas, mas pelo menos sabe disso).

O Kovalainen é um mistério. Era mais uma grande promessa vinda da GP2, foi piloto de testes da Renault, e teve uma tímida participação. Fez corridas péssimas, mas quando estava para dar lugar a Nelsinho Piquet vai lá e faz umas corridas legais, largando e chegando à frente de Fisichella. Mas aí volta a ficar medíocre, depois volta a ser bom.... a falta de constância dele é deixar qualquer um estarrecido. Mesmo assim continuo achando ele um cara de sorte: a maioria das pessoas tem 2 pés e ele está prestes a ganhar mais um... bem no meio da bunda.

té+

sábado, agosto 18, 2007

Como fazer sucesso na indústria do cinema

A princípio há de se escolher o tema:
- animação 3D com bichinhos malcriados falantes e piadas in-a-box;
- ação com uma releitura de "A Caverna" de Platão, cheias de filosofia pseudo-oriental e frases de efeito;
- reprodução alguma HQ, mesmo que desconhecida do grande público;
- thriller ou comédia com adolescentes/jovens adultos, e neste caso o enredo pouco importa, desde que se tenha uma escola ou faculdade como cenário, sangue e sexo, além de uma dose cavalar de maniqueísmo.

Depois, se o filme estiver à venda na porta do cinema durante à estréia por R$ 10,00, e depois de dois meses o camelô mais próximo à sua residência ainda continuar com mais de 10 cópias para vender diariamente não pesteneje: faça uma trilogia (dependendo do sucesso das seqüencias a trilogia pode ser de 4, 5, ... filmes).

Sim, se você fizer sucesso, vai perder algum dinheiro com o não pagamento de royalties em capas de cadernos, revistas para adolescentes femininas, papéis de parede, ringtones... se for HQ ou animação ainda há a perda por material escolar, artigos para festa de criança, enfeites de loja, e tudo quanto é tranqueira que se vende na rua 25 de Março em São Paulo, mas não tem problema, o que vale é a diversão.

Té+

segunda-feira, julho 09, 2007

Campeonato imprevisível

Há tempos que um campeonato de F1 não era tão disputado e incerto. O duelo de titãs entre Ferrari e McLaren está sendo ótimo de se ver.

Hamilton tem o que chamamos de sorte de campeão. O terceiro lugar em Silverstone caiu no colo do inglês de uma forma providencial. No entanto, ele ainda é o piloto mais constante do campeonato, subindo ao pódio em todas as etapas que aconteceram até agora, e a liderança é merecida.

Massa fez uma corrida espetacular ontem. Largando dos boxes, fez uma corrida de recuperação incrível. Nas primeiras 10 voltas ele foi o showman de Silverstone. Assim como seu pega com Kubica nas voltas finais. Apesar de Massa não ter ultrapassado Kubica foi o melhor pega da corrida.

Tudo ainda é possível. Mas o que manda num campeonato assim, com duas equipes tão equilibradas disputando, é a consistência dos resultados, e nisso a McLaren está na frente.

Saindo um pouco da F1, e indo à Indy, neste fim de semana, no traçado misto de Watkins Glen, houve um episódio lamentável. Tony Kanaan após ser tocado e perder 3 posições, ainda teve que aguentar a atitude anti-desportiva de Sam Hornish Jr, autor do toque.

Após o término da corrida Sam Hornish Jr ficou apontando o dedo para o baiano e esbravejando, querendo tirar satisfações. Pior, Sam Hornish Senior foi peitar Kanaan. Kanaan, que não tem sangue de barata, deu um tabefe em Sam Hornish Jr, e saiu da muvuca. Alguns mecânicos da Andretti Green, assim como o pai de Danica Patrick e outros pilotos tomaram as dores de Tony e saiu um rebuliço. Lamentável.

O mais triste foi Sam Hornish Senior dizendo que que Tony foi anti-desportivo. Pera lá, o cara tira o Tony do traçado, prejudica toda a corrida de Kanaan, vai tirar satisfação como um belo de um mal atleta, seu pai agride Kanaan (que não revidou contra o tiozão) e o velho ainda diz que Kanaan é o tal do errado da história.

A violência não leva a nada. Mas a família Hornish extrapolou, e muito, neste fim de semana. O maior prejudicado foi Kanaan, que merecia sim estar puto da vida, mas encarou a coisa como racing incident. A atitude da família Hornish foi lamentável. Realmente lamentável.

Provavelmente as equipes e os pilotos envolvidos serão punidos. Mas eu acho que Sam Hornish deveria receber uma punição mais severa, afinal ele foi o causador disso tudo.

Ah, a vitório foi de Scott Dixon, que vence pela terceira vez consecutiva a etapa de Watkins Glen.

Té+

sábado, junho 30, 2007

Revival - Corridas!

Outro assunto que faz tempo que não aparece por aqui é automobilismo.

Não consegui acompanhar as 24h de Le Mans. Chato, mas não vou morrer por causa disso.

Na Indy, fiquei inconformado com o que aconteceu nas 500 milhas de Indianapolis este ano. O brasileiro Tony Kanaan mereceia vencer. Merecia mesmo. Liderou quase que a corrida inteira. Segundo as regras da Indy, depois da volta nº 101 (são 200) o diretor de prova pode dar a corrida como encerrada em caso de chuva (porque pode demorar demais para secar a pista). Entre as voltas 120 e 130 começou a chover, safety car na pista, depois paralização temporária da prova, com Tony Kanaan na liderança. O que deixou todos brasileiros que acompanhavam a corrida putos (inclusive o piloto), foi que a prova não foi dada como encerrada, apesar da chuva torrencial que caía em Indianapolis. Fosse um americano que estivesse liderando, talvez o desfecho fosse outro. Após algumas horas, retomada a corrida... Kanaan lidera... até que durante seu pit stop, começou a gotejar na curva 4... fim de prova! Kanaan havia voltado em 6º. Na próxima volta, obrigatoriamente os outros pilotos à sua frente teriam que fazer pit stop, e Kanaan retomaria a liderança. Vitória para o escocês Dario Franchitti.

Na Fórmula 1, a coisa está tumultuada. As McLarens andam surpreendendo nesta temporada (nem tanto, visto que eles têm o maior orçamento). Desde Mônaco vieram andando forte, e só neste fim de semana as Ferraris mostraram alguma reação.

O mais surpreendente é o inferno dentro da McLaren. Alonso, atual bicampeão mundial, extremamente descontente com a equipe. Hamilton, o novato que chegou chegando, andando muito e liderando o campeonato. Hamilton pilota bem, merece créditos por isso, mas deve-se levar em conta que ele está num dos melhores carros (se não o melhor), e tem a vantagem de ter o atual bicampeão do mundo trabalhando junto ao desenvolvimento do carro. Isso com certeza pesa para o seu sucesso.

Na Ferrari, Massa se destacou bem, errou menos, apresentou maturidade... O Raikonnen não está fazendo feio, mas o Massa está fazendo mais bonito.

Um pouco mais atrás (mas nem tanto) as BMW's mostram que têm fôlego para andar forte e pontuar praticamente toda vez. Bom para seus pilotos Kubica e Heidfeld. A Honda apresentou discretas melhoras. E a Williams, andando melhor do que a Toyota, continua mostrando do que é feita, com destaque para Nico Rosberg.

A Renault vem medíocre em relação às ultimas temporadas. A decepção fica por conta de Kovalainen, que prometia muito, e andou errando além da conta; apesar dos resultados um pouco melhores no Canadá e EUA, está muito aquém do que se esperava dele.

Aliás no GP do Canadá, parecia tudo possível (menos que o Hamilton perdesse). Até o Takuma Sato passou o Alonso, o Mark Webber ficou em segundo durante uma parte da corrida, as Spykers demoraram para ficar fora da corrida, os mecânicos esqueceram de preparar um pit stop para o Antony Davidson...

Bem, vamos ver o que acontece daqui pra frente, mas acho difícil a McLaren não faturar o campeonato de montadoras. Do campeonato de pilotos, ainda há possibilidades abertas aos 4 (Kimi, Felipe, Fernando e Lewis). Dentre estes vai sair um campeão. Qual? Não sei... não sei mesmo; nem arrisco nenhum palpite.

Té+

sábado, junho 23, 2007

Coisas de geek...

Nos "tempos mais primórdios" da existência deste blog eu, costumeiramente, escrevia mais sobre o sistema operacional Linux e afins, mas depois dei uma esfriada nesses assuntos aqui no blog.

Mas fiz algumas modificações no meu PC que mereceram um tópico. Instalei alguns programas no Linux que deixaram ele mais power. Eu sempre usei o PC com a finalidade de trabalho, então nunca teve muitas frescurites. Pacote de escritório, navegador de internet, cliente de e-mail, editores (de texto para códigos-fonte), alguns servidores (impressão, internet, banco de dados), alguns compiladores e linguagens, um mp3 player, queimadores de CD e DVD... pronto. Isso era o meu PC.

Mas havia alguns incovenientes, como não rippar para CD para MP3, passar os vídeos da câmera digital para o PC, editá-los e gravar em DVD... Não por falta de opções, mas por eu sempre deixar isso para depois.

Resolvi isso. Instalei a biblioteca que faltava (no MS Janelas isso seria equivalente a uma DLL) para converter para MP3. Aproveitando a deixa, instalei o Audacity (um programa para gravação e edição de áudio), o Kino (para capturar e editar vídeo), o Cinelerra (permite uma edição mais elaborada dos vídeos), o CinePaint (também serve para editar fotos e vídeos, mas ainda não aprendi a mexer direito nele), o Ardour (um mixer para canais de aúdio)... Ou seja, meu PC agora virou um estudiozinho bem poderoso.

Também instalei aqui o Mercury. Um cliente de MSN, IRc, e uns outros tantos protocolos. O visual dele é bem legal e mais intuitivo.

Também instalei um navegador que me surpreendeu: o Opera 9.21. Ele tem um visual bem clean, moderninho, e uns recursos bacanas, tipo preview de abas, leitor de RSS, cliente de bate-papo, cliente de e-mail, cliente de torrent... tudo embutido. Panorama de abas abertas, e um recurso de atalhos (Speed Dial) que achei muito bom. Além do melhor suporte a SVG que vi até agora.

Ele não tem tantos plugins e addons disponíveis como o Firefox, mas para uma navegação é bem interessante. Vale a pena dar uma olhada no danado.

Para navegar recomendo o Opera, para desenvolver o Firefox. Para desenvolvimento o Opera oferece um pacote de ferramentas para webmasters, mas que ainda não chega a ser como as extensões Firebug e Web Developer disponíveis para o Firefox.

Ainda na pauta Mozilla, fazia muito tempo que eu não usava o Thunderbird (um cliente de e-mail). Achava ele meio incompleto. Fazia sua função, mas era meio incompleto. Preferi o Evolution, que tem uns recursos a mais que eu gostava. Besteira, dando uma vasculhada no site da Mozilla, resolvi testar o novo Thunderbird e uns addons dele (Mozilla Calendar). Era o que eu queria: um cliente de e-mail leve, e com as facilidades às quais não abro mão.

Agora sobre serviço também havia alguns programas que eu sentia falta. Instalei o PostgreSQL e o phppgadmin, e dos editores instalei o NVU, o Quanta Plus e o Eclipse.

Mas faltava um ponto crucial: para todo site que faço, tenho que reiniciar a máquina e ver como ele se sai no MS IE. Para quem não sabe, a diferença é gritante para quem desenvolve. Você faz um site que fica legal no Firefox, Opera, Safari, Maya, Galeon, Konqueror... mas no IE fica uma porcaria. A recíproca é verdadeira, se você fizer um site que fica bonito e funciona no IE, as chances dele dar algum chabú nos outros é grande.

O problema é que o IE aceita muito código errado (principalmente de Javascript) e renderiza muito mal o CSS (layout). Então a ordem é fazer um site que funcione nos outros (vai funcionar no IE também), e rascunhar o layout. Depois sim, ajustar o layout para o IE.

Pois bem, isso enche o saco. Para encher menos, achei um pacote fantástico: o IE4Linux. Sim, dá pra instalar o IE no Linux (nas versões 5.0, 5.5 e 6.0). Com flash e tudo mais. É obvio que não o uso para navegar, mas para testar como ele renderizará o layout. Simplesmente uma mão na roda.

Bem, prometo que o próximo tópico geek vai demorar mais um pouco para voltar nestas páginas.

Té+

sexta-feira, junho 08, 2007

Paraquedistas e desorientados - maio de 2007

Sempre tem umas pesquisas meio malucas ou engraçadas que algumas pessoas fazem. Reuni as pesquisas feitas no google e que acabaram vindo parar aqui, durante o mês passado.

"quais as dificuldades que tiveram no inicio do program da ms-dos"
Pela quantidade de pesquisas, 17, isso deve ser algum trabalho de faculdade...

código fonte de cadastro para gravadoras
Ah, sim, quer o layout também?

as desvantagens de se usar carros híbridos
Além do preço, se você quiser realmente poupar combustível nunca pegue uma estrada.

conceito de transporte ferroviário de pessoas
mais um para a faculdade

o que é layout sitações de exemplos usados em empresa
é incrível como sabem escrever layout, mas não sabem citações

particularidades do bom vinho
começa pelo preço...

passe com a planta dos pés
sei, sei... me conte mais

passo a passo para aprender a fazer bem casado
Isto é sobre aquele doce chamado bem casado? Prefiro acreditar que sim.

políticas públicas (vantagens e desvantagens do pib, percapta e idh)
já tentou ver no site da GV ou na wikipedia?

benefícios do vinho no relação sexual
Que tipo de gente procura isso?

carícias para se fazer
Quanta insegurança...

como fazer asseio de partes intimas
creio eu que lavar é um bom começo.

como fazer atingir um orgasmo
se você não sabe se a mulher teve um orgasmo, então é porque ela não teve. Simples assim.

como fazer pé bem feito
Tão de brincadeira né?

como triplicar a panturrilha
Triplicar? Cada um... se eu triplicasse minha panturrilha, eu iria parecer o Popeye plantando bananeira.

gosto de fazer sexo bem feito
eu também.

guia do conquistador para download em pdf
Putz... esse negócio de guia do conquistador é um dos trotes mais batidos da internet, e ainda tem gente procurando isso.

homens que falham na hora H
Desculpe, isso nunca me aconteceu antes

música ideal para um jantar a dois
War Pigs, do Black Sabbath

nao sei que mais fazer para leva-la ao maximo
xii...

qual o tratamento para os homens que falham na hora H
"Procure seu médico. Eu procuraria, entende...(sic)", by Pelé.

quando o adolecente deve saber a hora de fazer a barba
Se você não sabe, ainda não é hora.

truques para caricias
sacar coelho da cartola e baralho são demais!

Pesquisaram 4 vezes por blog do perdigão e 9 vezes por blog do serafa.
Sacanagem, e das grossas...

estatística sobre mortadela
Que doentio....

blogs que contenham músicas mp3 pra baixar
Arquivos para download num blog? Tem certeza?

Códigos de validação do Windows pirata
Eu é que não ponho minha bunda na janela.

"Kenny G"+ CD grátis + blog
Kenny G? Kenny G?! Eu ouço de Slayer e Lamb of God até Liszt e J. S. Bach... o que não inclui Kenny G.

"vida de um programador"
Minha autobiografia, na banca mais próxima a tua casa.

Download Apache 2.0 "san andreas"
??? Eu entendi bem? Alguém quer um servidor http na versão da Rockstar?

O que deu errado na campanha de Cristóvão Buarque
Tudo, inclusive os eleitores.

Eu nada entendo
será que é letra de música? só pode ser.

foto cumpade washington
Aham, tenho um álbum. Autografado.

foto do logotipo unix like
um logotipo para uma denominação genérica, nada mais justo.

frank aguiar link blog cd
vide minha resposta para Kenny G

mensagem de reflexão sobre a caixa de tomates
Hein?! Eu li direito?

mundo dos hackers
é garoto... tem comer mais arroz com feijão, e tomar muito café.

musicas de heavy metal digratis pra download
sim, a pesquisa foi exatamente assim. Estou acreditando que o analfabetismo funcional será o novo mal do século.

poste mijando no cachorro
já vi. Duas vezes.

preparacao de ator porno
comece aprendendo a pôr a camisinha.

como preparar jantar em casa
acorde cedo e assita Ana Maria Braga. Dica: você vai precisar de um fogão, gás e panelas.

Roupa para se dançar salsa
o modelo eu não sei, mas evite tons pastéis

passos para fazer uma maquiagem bem feita
Não uso nem manteiga de cacau...

como fazer sorvete que não tenha leite condensado
Eu nem sabia que precisava de leite condensado para se fazer sorvete.

creme hidratante para o inverno feito em casa
assista programas voltados para donas de casa, que passam à tarde em vários canais. Um deles ensinará.

denominação para pessoa viciada em café
programador. acho que é bem apropriado.

leite condensado nas preliminares
a dúvida é sobre o modo de usar?

massagem como faz bem
o SENAC tem um curso.

que riscos leva um spa a falencia
Tem alguém querendo abrir um spa? Simples, leia meu guia: "Como abrir um spa, ficar milionário e não falir nunca", à venda nas melhores livrarias de Macau.

software do susto
Windows.. qualquer versão serve, principalmente se você estiver fazendo um trabalho sério.

transponder aonde compro para marcar provas automobilisticas
não sei se isso é o mais viável, mas ligue para a embraer e dê uma passada na Rua Sta. Ifigênia. Fale que o pagamento é em dinheiro.

vantagens desvantagens globo terrestre
o cidadão tá pensando em mudar de planeta?

zebras albinas
O pior de tudo é que existem mesmo. São conhecidas como mulas brancas.

como cuidar de zebras
ah, sim, eu tive um haras de zebras (albinas).

como usar corretamente o GNV
Tem forma certa?

dicas de mecânica honda del sol
Tá com um e não sabe como trocar "aquela" peça, ou está ouvindo um barulho diferente do antigo gol quadrado?

vale apena colocar kit gas no carro após o almento de 11%
o que eu não entendo é como alguém que escreve almento tem um carro.

Seria mais cômico se não fosse verdade.

Té+

quinta-feira, junho 07, 2007

Sonzeiras e tosqueiras

Este post tem um caráter diferenciado. Meu insubstituível, impagável e inoxidável irmão, Toucinho, nascido em 1986, garimpeiro de raridades, e vasculhador motores nas horas vagas, contribuiu e muito no árduo trabalho de prospecção de tosqueiras. Ficamos praticamente toda a tarde do feriadão caçando relíquias (e tendo espasmos abdominais devido à alta dose de riso).

Na verdade, apenas recebi uma visita do meu irmão, e ficamos vendo tosqueiras no youtube. Este post não era planejado, mas a tarde rendeu tantas risadas, que achei que seria justo publicar uma coletânea de tosquices.

Garimpamos as tosqueiras dos anos 70, 80 e início dos 90. Achamos pérolas como "I'm too sexy" da banda (era uma banda?) Right Said Fred. Pior, descobrimos na wikipedia que alguns integrantes do Right Said Fred participaram de um rally em prol dos direitos dos homossexuais na Rússia. O que eu não consigo imaginar é aquele bando de macho (?) dentro de um Lada cor-de-rosa, saltitando pelas estradas de terra perto de Moscou. Não sei se isso é o pior. Na verdade meu irmão me revelou que o baixista/vocalista, Richard Fairbrass, do Right Said Fred foi baixista do David Bowie (que decadência, não?); para tirar a prova assista o clipe de Blue Jean.

Depois uma seção um tanto mais colorida: Living Colour, com o irreverente clipe de "The Glamour Boys". Os instrumentos coloridos são de muito bom humor e mau gosto, combinação rara de se encontrar!

Minha vez de mostrar uma curiosidade para meu brother: o som das guitarras de "Beat It", de Michael Jackson, foi todo produzido e gravado por nada mais nada menos do que Eddie Van Halen. Cada podre que a gente descobre... Nos vídeos relacionados a Beat It, achamos uma versão indiana de Thriller. Com uma hilária adaptação para danças típicas e folclóricas da Índia... bizarrice total. Ah sim, também vimos o clipe de Billie Jean (não confundir com James Dean), mas sobre esse clipe não há comentário: é ruim e pronto.

A banda Tecnotronic, com "Pump It Up The Jam", de onde se originou o vocábulo pô-pê-rô (!) muito conhecido pelas calças largas que fizeram sucesso no início da década de 90. Mas o clipe tinha um quê de Clóvis Bornay no figurino: roupa de acadêmia em lycra verde, com pochetes e botas de sete léguas.

Dando uma vasculhada nos baús encontramos Mr. T, conhecido ator dos anos 80 com participação em He-Man, cantando "Treat your mother right". Com seu característico figurino de "gigantes do ringue", ele se expõe todo o seu vozeirão e jeito para karaokê-king-kong (mico é coisa que seu primo de 5 anos faz).

A banda Snap!, composta por Tony Tornado e Glória Maria, fazem apresentações memoráveis nos clipes de "Rhythm is a dancer" e "The Power".

Um perdido chamado Noel, numa música chamada "Like a Child", onde ele, em trajes de cowboy, habilidosamente mistura dança com tae-kwon-do, também fez parte de nossas visualizações.

Agora dos famosos, teve a boys band New Kids On The Block, com o seu maior hit: "Step-by-step". Na mesma linha encontramos Village People, onde descobrimos uma surpreendente participação do Chuck Norris, no clipe de Macho Man. Ainda se inclui nesta categoria só que mais mal sucedidos estão os Menudos, Dominó, Polegar, Conrado, e outros infelizes...

Bonie M com seu incrível sucesso "Daddy Cool", traduz em poucas palavras e muitos gestos desconcertados o que eram os anos 70. Uma inspiração para James Brown & cia.

Os Stones também são sempre uma boa pedida para as risadas. Assista os clipes de "She's so cold", "Start me up" e "Miss You". Repare em especial que o baixista era o Silvester Stalone, ou algum parente muito muito próximo.

"Maniac" de Michael Sembello é um clássico que marcou época - o flashdance - e foi exaustivamente copiado em outros filmes, propagandas, seriados... e até hoje é um bom motivo para dar risadas. Ah, vimos também a galinácea atuação de John Travolta em "Summer Nights".

Fora da linha gay, mas na linha travestida temos Twisted Sisters com "We're not gonna take it" na versão full ou na versão com o Super Mario, e "I wanna rock". Impagável.

Claro que também vimos coisas boas. ZZ Top, Lynyrd Skynyrd, Midnight Oil, Oingo Boingo entre outros que pouco são divulgados na mídia. Agora um que me chamou a atenção foi este número de música com teatro de fantoches. Os caras são muito bons.

Não postei os links, mas qualquer busca medíocre com o nome do artista e da música vai retornar os clipes nas primeiras posições.

Então estão aí nossas sugestões para futilidade atemporal, gratuita, e instantânea. Motes para algumas horas de riso.

Té+

sexta-feira, junho 01, 2007

Quem se incomoda com o MP3?

Quem não tem, ou nunca usou um compartilhador de arquivos pela internet que dê a primeira pedrada. Muito se fala na mídia sobre combate à pirataria, e na memória de muita gente há a lembrança do caso do Napster, onde seus criadores foram condenados.

No caso da música tem muitos artistas que defendem ferrenhamente o compartilhamento. Mas há muitas pessoas que fazem arte, em especial música, que são a favor. Nunca ouviu falar nisso?

Joe Satriani (um dos maiores guitar heroes), Faíska (um baita guitarrista brasileiro), e a banda Doctor Sin, Carlos Santana, Hermeto Paschoal... são exemplos dessa postura. Isso ajuda na divulgação dos seus trabalhos.

Quem se incomoda são artistas que vivem de vender discos, não de fazer shows (tavez porque não sejam tão bons ao vivo e sem todo o aparato que se encontra dentro de um estúdio), e principalmente as gravadoras, que vivem de vender propriedade intelectual alheia, selecionada ao seu bel-prazer e tino comercial, a preços nada modestos.

Tirar esse intermediário (as gravadoras) permite que barateie e amplie muito a distribuição. Claro que isso promove a secura das tetas da propriedade intelectual alheia.

Temos até o caso do Artic Monkeys. Os caras não se definem como bons. Daí a publicar gratuitamente o seu material na internet livremente. Deu resultado? Sim, a banda não é ruim, e o preço para ouvir o seu material é muito baixo (basta ter onde baixar).

Enfim, cada um na sua. Mas projetos de lei como o do Eduardo Azeredo são no mínimo ridículos e impraticáveis.

Falei.

Greve na USP - o outro lado da moeda

Muito se fala na mídia sobre a greve de alunos, professores e funcionários da USP. E que inclusive outras faculdades públicas no estado de São Paulo e até mesmo em outros estados brasileiros começaram as paralisações também.

A pedra fundamental da paralisação foi um decreto do Governador José Serra, do começo de janeiro deste ano. O decreto criou a Secretaria do Ensino Superior. A partir de então as universidades estaduais passariam a prestar contas ao Estado.

Mas segundo uma lei constituicional de mil-oitocentos-e-alguma-coisa, as universidades tem sua autonomia garantida. Autonomia financeira, patrimonial, de educação, pesquisa, .... ou seja, é a única instituição pública que não precisa dar satisfação do que fazem ou como gastam a verba para elas repassadas, pois entende-se que quem faz parte dela tem maturidade e responsabilidade suficiente para isso.

Mas e a lei federal de responsabilidade fiscal? Ora, ela funciona para outras instituições, mas não para as universidades. Isso é (foi) um prato cheio para golpistas. Da mesma forma que há bons funcionários e professores nas universidades, também lá existem picaretas. Sim, picaretas, que se valem dessa não-prestação de contas para simplesmente ganharem o seu sem ter se mexer muito.

Prestar contas, no meu entendimento, não tira a autonomia das universidades. Apenas garante que a verba seja melhor aplicada, e isso sim traria melhoria para todos realmente interessados na melhoria da universidade.

Os prejudicados com esse decreto não são os alunos, nem professores sérios, muito menos funcionários dedicados, e sim os sorvedouros de verba. O risco de descobrirem falcatruas aumenta consideravelmente, assim como o risco da fatia ficar menor, por ter que pagar mais pessoas para silenciarem e fazerem vista grossa.

Outra coisa que nunca se fala na imprensa: há duas greves todo ano na USP. O que acontece agora é inédito, pois houve a invasão da reitoria - e é claro, por causa do decreto do Serra, que motivou uma maior mobilização por ferir o "sagrado direito da autonomia".

Uma das greves é agendada para meados de maio, e outra para setembro. É sempre a mesma coisa que se reinvindica: aumento de salário, melhores condições de trabalho, mais isso, mais aquilo... e em duas ou três semanas, após conseguir um aumento (ainda que ínfimo), e mesmo se outras exigências não forem cumpridas, a greve cessa.

Cá entre nós, quais seriam as melhorias na condição de trabalho? Os funcionários das universidades públicas trabalham num oásis público. Não tem que dedicar atenção a pessoas com baixo nível de instrução, nem a idosos, nem a barraqueiros... nada... O árduo trabalho é o mais tranquilo, informatizado e automatizado quanto se pode ser na esfera pública, incluindo o direito de se usar em primeira mão novas tecnologias para organizar, agilizar e facilitar o trabalho.

Quero ver se algum deles topa ir trabalhar no INSS ou na Caixa Econômica Federal.

Mas o mais interessante é que a greve não é uma decisão dos próprios funcionários, e sim do sindicato - cujas lideranças sequer trabalham lá. A idéia é bem simples: aumentando o salário dos funcionários, aumenta a contribuição sindical, que por sua vez direciona mais verbas para o bolso de quem não trabalha - as lideranças sindicais.

Algumas unidades do campus Cidade Universitária são greveiras de carteirinha. E sempre reinvindicam muitas coisas, algumas bem legítimas - dou meu braço a torcer. Como a ampliação do CRUSP, e reformas nas unidades (sim tem prédios caindo aos pedaços). Mas é bem verdade que muitos motivos de agito não têm a menor coerência ou embasamento. Como a greve e as manifestações devido ao veto dado por Geraldo Alckmin, quando da aprovação por mais verba destinada à educação pelo Câmara Estadual de Deputados.

Pegando este exemplo, onde os deputados aprovaram por votação mais recursos para a Educação (coisa de 1 ou 2% do orçamento do Estado). Alckmin vetou simplesmente por isso não fazer parte do seu plano de governo. Sim, o picolé de chuchú tem colhões para manter sua palavra, coisa rara hoje em dia. Seu planejamento previa esta verba para o adiantamento para obras de infraestrutura do metrô. E foi isso o que ele fez: cumpriu com seu plano de governo. Mas este fato de hombridade não foi levado em conta, ou sequer era sabido pela maioria dos agitadores e manifestantes da USP.

Eu fico embasbacado com os alunos alienados demais. Passionais. Uma coisa é reinvindicar melhorias legítimas, com argumentos sólidos; uma outra, bem diferente, é apoiar um movimento sem a menor idéia do que acontece de verdade, sem analisar todos os lados de um ato ou decisão.

Dois amigos meus foram na reitoria ocupada. Quer saber o que tem lá dentro? Além de alunos, há muita maconha rolando, pó... Nada contra o pessoal que gosta de puxar um fuminho. Os universitários geralmente não roubam para comprar o "tablete de caldo Knorr", ou um "pino". Além disso, há algumas faixas como "Chuck Norris apóia a greve"...

Não bastasse essa "sólida" base de apoio, essa massa de manobra que ocupa a reitoria e enche as manifestações, as lideranças estudantis, os porta-vozes da classe universitária em toda a sua inteligência, são tão confusos quanto um novelo de lã, e dão mais voltas em círculo do que pião.

Há anos reinvindicam as mesmas coisas, sem no entanto conseguir sucesso, mostrando que são mais marionetes do sindicato do que uma classe que anda com as próprias pernas. E o pior e que qualquer agito, já lançam todas as armas... não tem foco. Qual foi o estopim da atual greve? Perda de autonomia da universidade? Por que raios então estão falando ao mesmo tempo de moradia, segurança, reformas e cotas?

Não há uma mobilização focada em um problema. Querem resolver todos. De uma paulada só. Como se construir um prédio fosse como pedir fast-food.

Sei que algumas unidades têm sérios problemas. Prédio velho, professor que falta na aula para ir dar aula em faculdade particular (onde ganha mais, e pela estabilidade do estado não perde sua teta), falta de segurança e infraestrutura... Mas tem que ter bom senso. A ocupação da reitoria foi uma babaquice sem precedentes. E a teimosia mais ainda. Tinha até sem-teto lá.

Sobre a falta de segurança, há um dilema. Hoje vivemos um momento muito diferente do que na época da ditadura. Põe muito diferente nisso. Quem não quer a polícia dentro do campus são os queimadores de erva. Por outro lado a guarda universitária é tão eficiente na segurança como pneus de madeira em carros esportivos. No caso de alguma emergência o que eles podem fazer é usar um apito e uma bicicleta. E como se permite que qualquer um entre no campus...

Acho que essa é uma das questões mais difíceis de se trabalhar. O que se pode fazer? Barrar todos e permitir que somente alunos, funcionários e professores entrem dentro do campus? Equipar efetivemente a morosa guarda universitária? Permitir que a polícia faça seu trabalho lá dentro?

É necessário pensar nessas questões antes de falar "Não queremos a polícia aqui dentro!", "Abaixo a repressão!". Que repressão? Quem foi preso, investigado ou torturado por subversão nos últimos 10 ou 15 anos lá dentro?

E sobre a ocupação da reitoria, ouvi sugestões um tanto quanto exóticas de alguns amigos. Como expulsar da universidade todos os manisfestantes que não desocuparem o prédio. É uma solução que não usar força bruta, e busca uma solução administrativa tão forte quanto balas de borracha para ferir o brio dos incautos.

Não sei que fim esta novela terá. Sei que a mídia e as lideranças mostrarão só o que dá IBOPE e o que falar. Mas ainda assim arrisco umas previsões:

- em setembro vai ter outra greve, que não passará na mídia, pois tratará apenas de aumento de salaŕio, melhores condições de trabalho...;

- muitas promessas e acordos serão feitos para manterem as coisas exatamente como são (aliás ontem o Serra já mandou uma correção, desobrigando a prestação de contas, logo essa greve termina...);

- o pessoal altamente preocupado com dezenas de questões para a melhoria da universidade ficarão chupando o dedo, e voltarão às aulas com o rabo entre as pernas até segunda ordem do sindicato, o que mostra mais uma vez sua solidez de mingau;

- as outras unidades, com mais porcos capitalistas-facistas-nazistas-istas-istas-istas, como a que eu estudo continuarão a ignorar a greve, e não sofrerão atrasos significativos em seus calendários

- não vou receber boas indicações por que escrevi isto. O melhor que pode me acontecer é ninguém falar nada.

Té+

quarta-feira, maio 23, 2007

Como fazer bem feito

Republished on 20/fev/2010!

Os leitores do meu blog, sabem (se não sabem ou estão chegando agora podem conferir no histórico do blog) que não costumo tratar aqui sobre particularidades da minha vida íntima, nem publicar nada relacionado a sexo.

Mas devido à alta incidência de buscas que não estão de acordo com o perfil deste blog resolvi publicar um how-to, um guia, sobre como agir para que você se torne alguém especial e marcante na cama.

Antes de prosseguir devo fazer muitas considerações e explicações. Em primeiro lugar não sou nenhum ator pornô e nem pretendo ser um profissional do sexo. Gosto de TI e ponto final. Também não sou nenhum Don Juan - mas quem leu a obra sabe qual era o segredo dele: o trato com as mulheres. Tenho 23 anos, sou casado, estudo e trabalho. Minha vida pregressa teve lá suas peculiaridades, mas nada que fuja do comum. Aqui retratarei apenas os pontos em que os homens geralmente falham em observar e cuidar para que se torne especial na vida de uma mulher.

Isso não é um guia de como se tornar um conquistador, ou como fazer ela ir às nuvens em 15 minutos. Simplesmente porque isso seria perda de tempo e recursos - estas soluções mágicas pra gringo ver são furadas, não gaste seu dinheiro e tempo nisso. Como este artigo é público, disponível aberta e gratuitamente a quem queira ler, não ofereço garantias - nada mais faço do que compartilhar minha experiência, paciência e capacidade analítica com o público leitor.

O primeiro passo para se tornar alguém realmente especial é ser sincero. Se você não tem intenções de manter um relacionamento sério, diga isso ou não alimente falsas esperanças dela - no limite o pior que você pode fazer é apenas omitir esta informação. Se ela declarada ou implicitamente não quer algo sério, mas mesmo assim você quer ter uma passagem marcante, sinta-se à vontade de tentar ser por sua conta e risco (pense assim: você já não é, o máximo que pode acontecer é você vir a ser marcante).

Não tenha medo de ser cavalheiresco e galanteador. Aliás o diferencial começa aqui. Elogiar, reparar em pequenas mudanças e detalhes (colar, brincos, maquiagem, cabelo) de forma positiva faz parte. Ter boa educação é imprescindível; bom dia, boa tarde, boa noite, por favor, com licensa... vocabulário em dia. Dizer como ela é (ou está, não sei) bonita, fale do seu bom gosto, charme...

Mas o bom senso deve prevalecer para você não se tornar um chato. Você tem que saber adequar a linguagem e atitudes ao contexto, senão você corre o risco de se passar por piegas demais. Não exagere na dose nem deixe faltar essas coisas.

Higiene e asseio também é fundamental. Estar sempre de banho tomado, barba feita ou bem aparada, desodorante, unhas aparadas, pêlos do nariz, roupas passadas... Não dê uma de metrosexual, mas cuide-se. As chances de você ser marcante por ser péssimo também existem, e a falta do quesito higiene concorre fortemente para isso.

E na hora "H"? Calma, o apressado come cru e seco.

Não pense na hora "H", planeje a hora "H". Uma boa relação sexual começa com um bom dia. Sim, com um simples bom dia. Um grave erro dos homens é não saber preparar a mulher para a relação sexual. Não estou falando de preliminares, estou falando de preparação psicológica. O sexo - o bom sexo - é encarado e sentido de forma diferente por homens e mulheres. Um simples bom dia afetará positivamente mais tarde, ajudará ela a estar mais receptiva.

Claro que outras coisas ajudam. Flores, bombons, cartões, até mesmo bilhetes escritos à mão (cuidado com a ortografia e com a caligrafia) dias antes (se você não é casado suponho que isso seja durante a semana) ajudarão a preparar o lado emocional dela.

Voltando ao dia que já começou com um bom dia (pessoalmente, por telefone, ... dê seu jeito). Hora da ação, ou melhor quase. Hora de aquecer os motores para o grande momento. Leve-a para jantar. Converse, escute muito, elogie ela, seja divertido e gentil. A propósito, não escolha nada muito pesado ou de difícil digestão para comer.

Para beber um bom vinho deve acompanhar (pelo amor de Deus, nada de vinho vagabundo de R$ 3,00). Se você souber combinar vinhos com carnes, massas e saladas melhor ainda. Se você não sabe pesquise no google e aprenda. E vale o mesmo conselho de sempre, sem exageros. Não vá ficar de pileque.

Na verdade o ideal é chamá-la para jantar na sua casa e preparar você mesmo o jantar (homens modernos também tem que ter seus truques na manga). O fato de você preparar a comida para ela fará um diferencial astronômico. Claro que se você não mora sozinho ou, não estará sozinho em casa no horário previsto nem adianta. Aí leve-a para jantar fora.

Se for levá-la para jantar em sua casa nada de toalhas no chão, cesto de roupa cheio, pia entupida de louça, roupas espalhadas pelo quarto, móveis empoeirados, tampa da privada levantada... Arrume sua bagunça.

Enfim depois de um jantar leve e agradável, um vinho e um papo, vocês já devem estar num bom clima. Mas ainda não é a hora "H". Aproveite esse momento você também, afinal a noite deve estar agradável.

Segunda etapa da noite: dança. Sim, dançar. Não precisa ser o Carlinhos de Jesus, nem dominar os passos da salsa. Ela provavelmente também não domina. Se você não sabe dançar não entre em desespero, há como contornar isso.

Evite lugares movimentados. Procure um lugar mais calmo para fazer isso. Se você ou ela ou ambos são duros pra dançar, procure algum lugar onde toque música lenta. O famoso dois pra lá, dois pra cá já é alguma coisa. Aliás o ideal é esse, lugar tranquilo, música entre lenta e moderada.

Se você está em casa, meia-luz, música lenta... a sala de estar costuma ser o lugar ideal para dançar devido ao espaço, ambiência do som... Dois pra lá, dois pra cá... uns passinhos mais arriscados se houver habilidade e entrosamento...

Enfim, não gaste muito tempo com a dança. Só o suficiente para a comida assentar e rolar um esquenta. Isso também serve de dica se você é um pé de valsa.

Sim, finalmente chegamos à hora "H". Hora de ir para um motel ou para um quarto. O tão esperado momento chega. Calma lá, ainda falta muito para os finalmente. Os homens geralmente pulam ou mal fazem as preliminares, e já vão afoitos para "estourar a champagne".

Comece com beijos, carícias, abraços... Não tenha pressa. Um bom banho juntos caí muito bem nessa hora. Durante o banho mais beijos, abraços e carícias.

Voltando à cama, hora das preliminares mais íntimas. E agora é a hora de mostrar do que realmente você é capaz. Beijos, lambidas, mordiscadas, carícias com as mãos, eis suas armas. A pressa será sua inimiga. Procure explorar TODOS os lugares, exceto a vulva em si. Pescoço, orelhas, punhos, dedos e palma das mãos, virilha, pés, entre os dedos dos pés (vocês tomaram banho, certo?), tornozelos... Se ela quiser avançar o sinal antes de você não caia nessa, resista; provavelmente ela nunca experimentou algo tão demorado assim - e será recompensada da forma certa.

Peça gentilmente que ela vire de bruços. Use suas armas nas costas dela. Explore da nuca aos pés. Não esqueça dos flancos no ventre, das virilhas, da parte de trás dos joelhos, coxas, panturrilha, planta dos pés e... volte, faça o caminho de volta! Tente perceber qual é a parte mais sensível do corpo dela e explore mais lá depois, com calma. Deixe ela aproveitar o momento.

Aproveite enquanto ela está de bruços e faça-lhe uma massagem. Use um óleo para massagem, ou um creme hidratante. NUNCA despeje o óleo ou creme direto nela. Passe em suas mãos e depois passe suas mãos nela. Depois passe a massageá-la com seu tórax e braços (sim se besunte... a visão pode parecer ridícula, mas como ela está de bruços mesmo...). Use seu corpo para massagear o dela, acolhê-la, fazê-la se sentir protegida e bem amada.

Depois que ela se desvirar, continue beijando, abraçando, acariciando... Parta então para fazer-lhe sexo oral. Faça até ela atingir um orgasmo. Volte e beije-a...

Então sim, a hora do vamos ver chegou. Vá lá e satisfaça-se. Após você ejacular, continue a festa: faça mais sexo oral nela! Faça até ela ter mais um orgasmo ou você ficar pronto para mais uma rodada.

Não há uma sequencia ou protocolo muito bem definido aqui, nem quantidades que devem ser rigorosamente observadas.

Massagem, mais brincadeiras com carícias pelo corpo, mais um banho.... tudo vale. O importante é a diversão e a satisfação de ambos.

Há coisas interessantes para se fazer como usar uma pedra de gelo, sorvete (não recomendo o uso no inverno!), leite condensado, etc... Isso pode vai ao gosto dos glutões de plantão.

Se quiser saber uma opinião feminina sobre a hora do vamos ver, com qualidade e bom humor, dê uma lida neste post do Blog Já Viu, da Kellen Lopes.

Té+

terça-feira, maio 22, 2007

Para facilitar a vida

Que o miguxês é o mais novo e moderno dialeto digital entre as criaturas com QI abaixo de 70, isso não é novidade. Língua corrente em redutos da internet como flogs e Orkut, o dialeto tem suas origens na época do ICQ e experiências de Gestalt, passando pelo MSN, e depois nas mãos dos emos e fãs do RBD.

Mas a novidade do momento é o Miguxeitor. Disponível na versão on-line gratuitamente pelo seu criador, o Aurélio.

Vale a pena uma visita no blog e no miguxeitor. Risadas garantidas.

Se você faz parte dos seres que usam este dialeto você tem a vantagem de usar esta ferramenta para economizar as teclas shift e x do seu teclado.

Se você não se encontra nesta classe, mas tem dificuldade em falar com filhos/primos/sobrinhos adolescentes, crianças, esta é sua chance de melhorar o diálogo.

té+

segunda-feira, maio 21, 2007

Ampliando os leitores

Eu decidi aumentar a quantidade de leitores do meu blog. Mas como fazer isso?

Escrever coisas mais interessantes como escândalos da Paris Hilton ou contos eróticos?

Transformar este espaço num diário cheio de pensamentos de adolescente, com conflitos emocionais, crises existênciais, e tals (além de fotos da "turma do fundão")? Ou numa emocionante novela autobiográfica (seu eu fizesse isso e colocasse um formulário para doações pravavelmente eu ficaria rico e depois seria processado pela mexicana televisa, sob a alegação de plagiar os roteiros dela)?

Não. Optei por algo mais sutil e palpável. Colocar meu blog nos blogrolls como o Blogblogs e Technorati. Além de linkar o meu blog de lá pra cá, quem usa esses serviços também poderá marcar este blog como um dos seus favoritos usando algum dos links disponíveis na barra lateral.

Também coloquei um link para adicionar o blog no del.icio.us. Já falei sobre este serviço aqui antes. É uma espécie de favoritos on-line. Muito bom para quem acessa muito a internet da faculdade, do trabalho, ou mesmo trabalha com visitas e às vezes precisa lembrar "daquele" site quando está no cliente.

Na verdade existem zilhões desses serviços, mas resolvi colocar apenas para os mais conhecidos.

Também pensei em colocar links para serviços de leitura de RSS on-line, bem como aumentaros distribuídores dos meus feeds, porém essa é uma tecnologia com a qual poucos usuários estão acostumados. Nem por isso os serviços são poucos, também tem muitos sites que provêem este tipo de serviço. Mas isso exigiria uma evangelização dos leitores do meu blog, e disso eu tô correndo.

Se você não sabe o que é RSS e como funciona não sabe quanto tempo da sua vida pode estar disperdiçando. Leia mais sobre o assunto. Garanto que é fácil e faz uma baita diferença na hora de garimpar informações e ler novidades que realmente te interessam.

Té+

segunda-feira, maio 14, 2007

Eu já não entendo mais nada

Eu já não entendo mais nada. Não entendo mais nada de TI, muito menos de economia e de negócios.

Linux é coisa de adolescente nerd, comunista, cheio de espinhas, sem amigos reais, e que acha que pode revolucionar o mundo, além de invadir e roubar computadores de usuários indefesos e inocentes. É coisa do capeta e viola a boa ordem natural das coisas.

E ponto final. Não mais com as palavras em minha boca (ou tela), mas na dos outros:

- Bruno Sayeg Garattoni, colunista do caderno Link do jornal O Estado de São Paulo, e do blog Re:Bit da Super Interessante (Editora Abril), escreveu em seu blog pessoal: "...O esperadíssimo Ubuntu7 ... chega a humilhar o Vista." neste post aqui.

- Sandra Carvalho, o currículo dela é extenso demais para escrever aqui, no seu blog relata um triste episódio, sob o título "Quem é o responsável pela chave do Windows?"

- Ainda na Info leio isso e sua origem, a revista americana Fortune, mais exatamente nesta matéria.

Esta não é uma prova, mas um indício de que atualmente é necessário rever os conceitos, visto que mesmo edições que defendem(iam) a Microsoft e sua política como empresa de TI estão se dobrando frente ao movimento do software de código aberto.

sábado, maio 12, 2007

Serviços gratuitos são bons mesmo?

Como eu havia dito no post anterior, iria me dedicar mais à construção de uma página pessoal e ao meu outro blog.

Bem, não tem como levar meu outro blog a passos largos, visto que seu cunho é muito mais técnico e tal. É preciso escrever ler muito, escrever, revisar, ... Não dá para fazer um post em 10 minutos.

Minha página está no Yahoo!. Está praticamente pronta. Novo layout (mais light, baixo-contraste, muito webstandard), e muito mais conteúdo. Faça uma visita .

Não gosto muito de layouts prontos. Geralmente são uma porcaria. Aqui no blogger até que a coisa é diferente, os layouts oferecem CSS e acesso aos códigos, além de possuir recursos para diversas midias (handhelds e PDA's). Ou seja aqui no blogger a coisa é um pouco mais profissional, certinha.

Melhor que no Wordpress, onde você não pode acessar o código-fonte para incluir um serviço de análise de tráfego básico.

Agora, e as limitações que esses serviços oferecem? O blogger tem poucos recursos (tá certo, é só pra ser blog mesmo). Mas bem que poderiam haver outros serviços integrados. O Orkut não tem enquetes? Por que raios temos que recorrer a serviços externos?

No Yahoo! a coisa é pior. Pra começar eles sequer tem serviço de blog (não, eu não quero criar mais um blog). O Geocities foi um boa sacada que o Yahoo teve anos antes do Google, que ainda engatinha nesse nicho com o Google Pages (ainda em fase de testes e disponível apenas para os EUA). O Google Pages oferece 4 vezes mais espaço (característica marcante), e mais facilidades para edição, que faz lembrar muito um serviço de blog, porém as limitações do serviço são severas e os bugs ainda são abundantes.

O Google Pages não suporta completamente javascript, CSS, e muito menos serviços externos.

O Yahoo! perde apenas em um ponto (muito importante, diga-se de passagem) no suporte a formulários. Sim, formulários do tipo "Fale Conosco" ou "Contato". Hoje vi mais de 60 sites hospedados no Geocities, e todos os formulários que funcionam são de serviços externos (pagos!) ou então o ineficaz link mailto.

Claro que não de se cobrar que estes serviços suportem muita coisa, como bancos de dados (MySQL, Postgre, Firebird,...) e linguagens dinâmicas (PHP, ASP, Cold Fusion, Python,...). Mas a questão é que o Yahoo! afirma que oferece esse tipo de serviço (os dados do formulário são enviados para o e-mail secundário).

O Google já nem diz que suporta formulários. O negócio deles é facilidade para edição e muito espaço - e só.

Então fica a questão: será que terei de recorrer a mais serviços externos? Pelo visto sim.

E onde fica a fidelização do usuário?! Pelo jeito, enquanto os gigantes se debatem e escorregam nessas pequenas coisas, a fidelidade fica indo pelo ralo.

Bem, chega de chorumelas. Tenho alguns cadastros em serviços suspeitos para fazer. E botar meu formulário para funcionar.

sexta-feira, maio 04, 2007

Trabalhando um pouco

Meu outro blog, assim como minha página no Geocities, estão meio jogado às traças.

Assim, vou diminuir um pouco as postagens este mês e trabalhar um pouco neles. As traduções de posts antigos já estão prontas, mas ainda falta escrever alguns artigos sobre programação que prometi, e disponibilizá-los para download em pdf.

Mãos à obra.

Té+

quinta-feira, maio 03, 2007

Reformulando ainda mais

É isso aí. O volume de visitas não anda muito bom, o de participação então nem se fala (a Kellen, autora do Blog Já Viu?! foi uma das poucas boas almas em meses a me levantar o moral).

Tá certo que não sou escritor de contos eróticos, nem sou um piadista de plantão. Mas acho que estava faltando um certo dinamismo nas minhas páginas. Eu estava justamente pensando nisso nos últimos dias, quando li isso no Blog do Aurélio.

Sugeri através de um comentário a implementação de enquetes para deixar a comunicação com os leitores mais fácil. Mas daí surgiu a dúvida: é possível? Por que não fui atrás disso antes?

Então fui. Encontrei alguns sites que forneciam o serviço "digratis", escolhi o melhorzinho (a apresentação de resultados é mais completa e a administração da enquetes é mais agradável), e resolvi testar. O serviço escolhido tinha sido o da Opine Now!, porém o código fornecido por eles não era corretamente reconhecido pelo Blogger (tanto em posts, quanto como um serviço externo na barra lateral). O mico foi eu ter recomendado o serviço para uns amigos sem antes ter testado (que vacilo!). Insisti na idéia. Criei um blog para testes no Wordpress. O parser deles também não reconhecia o código nem por decreto.

Fazer o que? Mudar de opção de prestadora de serviço. O Blogger recomenda uma lista, entre eles o Pollhost, que resolvi testar. No Blogger ele subiu bem, mas no Worpress... Aliás não se pode editar diretamente o código-fonte no Wordpress, e apesar da plataforma oferecer alguns recursos bem interessantes, ainda falta simplicidade para tarefas mais rotineiras.

Depois de tudo isso aqui está. A primeira enquete no Blog do Perdigão, ao lado:

té+

Quem linka quem?

Dando uma olhada rotineira no "blog já viu?!" Reparei que havia uma ferramenta interessante na barra lateral. Uma lista de quem e quantos links há para a página.

O serviço é provido gratuitamente pelo site e-referrer. Me cadastrei e coloquei a lista na barra lateral, abaixo da seção links.

Achou interessante? Faça você também, oras. Não achou? Então por que está lendo até o final do post?

té+

domingo, abril 29, 2007

Leituras de cabeceira

Nunca ouvi falar em "site de cabeceira". Livro, filme, CD.... mas nunca um site ou artigo.

Bem, abaixo estão os meus "sites de cabeceira", minhas fontes de inspiração, motivação e diversão.

Site do Eric Raymond
Numa Boa
Info Western
Webinsider
Guia do Hardware
Viva o Linux
Slacklife
Tableless
TUX Magazine
Phrack

Se você quer aprender algo sobre computação, comece por estas referências. A quantidade e qualidade das informações satisfazem praticamente qualquer apetite de saber.

Té+

quarta-feira, abril 25, 2007

Um pouco sobre música

Música é um assunto sobre o qual pouco falei nos últimos anos, e a maioria das pessoas que me conhece não deve saber muito a respeito do meu gosto, quanto menos de minhas opiniões sobre música.

Desde novo gostei de metal. Meu primeiro disco (sim, em vinil) foi o Arise, do Sepultura. Mas sendo a música uma forma de arte, leva-se muito tempo para conhecer e formar opinião a respeito.

Depois de conhecer os grandes ícones do rock e do metal, e aprender a tocar violão e guitarra, comecei a apurar e refinar meu gosto. O rock ou o metal já não supriam mais minha vontade de conhecer, e foi nesta época (por volta dos meus 16 e 17 anos) comecei a ouvir jazz, música clássica, guitar heroes (Satriani, Vai, Malmsteen,...), MPB, entre outros ritmos.

Aprendi a separar joio do trigo e vi que a vida de músico sério é realmente difícil (e desisti da carreira). Quem ganha muito dinheiro é quem não faz música; quem não faz arte.

Claro que em todos os ritmos e estilos há músicos mais interessados no dinheiro que vão ganhar do que em fazer arte propriamente dita. Kenny G, Ray Connif, e musiqueiros de verão baiano que o digam.

Para mim os bons são as bandas que criam coisas novas e interessantes; que aliam a técnica ao bom gosto. Aqui se enquadram Black Sabbath, Deep Purple, Hendrix, Djavan, Rage Against The Machine, Pink Floyd, Nirvana, entre outros.

É difícil engolir Evanescense, depois de ouvir Nightwish 5 anos antes. Ou Linking Park depois de R.A.T.M.; também é triste ver a decadência de uma banda como no caso do Charlie Brown Jr, onde nota-se a influência do dinheiro desde as letras até os clipes e produção do álbum.

Não gosto quando uma banda perde sua veia de originalidade. Compare os últimos álbuns do Metallica com os primeiros, e depois faça o mesmo com Ramones ou Black Sabbath. Nota-se que uns perdem seu footprint, enquanto outros conseguem ser criativos e evoluir (amadurecer) dentro de seu próprio estilo.

Sei que sou chato com relação a isso, mas creio que os leitores do meu blog também não ouvem (ou não apreciam) Calipso, RBD e tralhas de cunho estritamente comercial.

Té+.

sábado, abril 21, 2007

F1 - 2007 - Bahrein

Bem, como anteriormente, tardei em publicar sobre a etapa. Mas dessa vez não demorou tanto.

Pela corrida em si... estava de dar sono. Mas algumas coisas chamaram a atenção.

- Lewis Hamilton não veio para brincadeira.

- Massa andou bem. Mas vamos ver se se mantém assim.

- Raikonnen anda se segurando para não escorregar no tomate. Será que enfim criou juízo?

- Alonso estava irreconhecível. Deve ter sido problema de setup do carro.

- A Renault anda sentindo fortemente a falta de um bom piloto, e Kovalainen está se mostrando muito menos promissor do que em seus tempos de GP2 e piloto de treino.

- A Honda continua a saga de problemas.

- A Williams continua colocando seus carros à frente da Toyota.

- Spyker continua a aparecer tanto quanto duendes.

- BMW se firmando como terceira força.

O GP do Bahrein, onde Felipe Massa conquistou sua primeira vitória do ano, foi sonolento. Se não fosse a ultrapassagem de Heildfeld em cima de Alonso no final, nada teria mudado nas 6 primeiras posições, de ponta a ponta. Ninguém quis arriscar muito nesta etapa. Mas ainda tem muita água pra rolar este ano.

Bem, fico por aqui.

Té+

O que ando lendo

Além das man pages do linux, que dei uma organizada ao meu estilo para facilitar a leitura (se isso te interessa veja meu outro blog), manuais técnicos e livros da faculdade, eis o que ando lendo.

Blog Já Viu?!

Blog do Capelli

Webinsider

Carreira Solo

Autosport (em inglês)

Ficam aí algumas das minhas sugestões de leitura.

Té+

Um pouco sobre software livre e o mundo dos hackers

A distorção de idéias e termos, através de artigos e matérias escritas por pessoas relativamente leigas, passa longe de cumprir o papel fundamental do jornalismo, que é o de levar informação às pessoas.

Os maiores prejudicados são o público, que busca informação, e os profissionais sérios que estão na outra ponta.

Começando pelo software livre, que não é uma idéia nova (sim, essa idéia é mais antiga que o Windows, e na verdade, mais antiga que a própria Microsoft). Além do que a idéia em si não se restringe a apenas um único sistema operacional, ou suas variantes, abrangendo todo um novo conceito de valores sociais e modelos de negócio, quanto mais de outros aplicativos e facilidades.

A impresa de massa não divulga este tipo de informação. Por que? Não sei ao certo. Talvez por duvidar da maturidade (capacidade de compreensão, absorção, análise, reflexão, conclusão) de seus leitores. Ou por não se importar com o trabalho sério de profissionais de uma área sobre a qual mantém pouco interesse. Ou mesmo pela imaturidade dos autores... como disse não sei.

Mas falando mais abertamente do software livre, algumas idéias que são vendidas, ou concluídas antecipadamente por falta de informação, e que me incomodam (eis porque escrevo), são a de que este tipo de software é desenvolvido por pessoas despreparadas ou com fins escusos. Não, absolutamente não.

Software livre não é desenvolvido por adolescentes pseudo-revolucionários socialistas, cheios de espinha, que passam o dia inteiro na frente do computador tentando invadir o computador de algum usuário, ou menina para roubar-lhe seus segredos. Software livre, tem sim seu lado comercial, e é desenvolvido por pessoas comprometidas com o que fazem, e são pagos para isso, ou para dar suporte e treinamento.

Abrir o código-fonte, tem implicações. Grandes empresas se escondem atrás dos diretitos autorais, copyright, propriedade intelectual, para vender um produto de forma não-transparente. Certo, a maioria dos consumidores realmente não tem a mínima necessidade de conhecê-lo, basta que o produto funcione. Mas abrir o código-fonte, é como convidar o cliente a conhecer a cozinha de um restaurante, ou ver um motor desmontado. É trabalhar com transparência.

Normalmente não me interesso em ver a cozinha de um restaurante, mas se o maître e o gerente me impedem de todas as formas possíveis de ver a cozinha, isso pra mim é, no mínimo, motivo de desconfiança. E para você?

Eis a segurança em se usar software livre: a transparência no negócio.

Outro ponto a ser observado é que software livre não é software pirata, nem plágio mal-feito. Quem faz tal afirmação nunca usou a suíte de escritório OpenOffice.org ou mesmo o navegador Mozilla Firefox. Se esse era seu ponto de vista, experimente os softwares citados e depois diga o que acha.

Agora de um ângulo mais técnico, o software livre apresenta-se como uma evolução no conceito de desenvolvimento. Através da possibilidade de acesso e modificação do código-fonte, grupos, empresas, especialistas e consultores, tem mais saídas do que becos. Sim, se alguém tem uma necessidade especial, pode-se adicionar/alterar a funcionalidade, sem a necessidade de adquirir outro software que o faça, ou pior adaptar o seu negócio segundo a restrição imposta pelo software de código fechado.

Pode não ser tão simples (e geralmente não é mesmo) alterar um software. Mas em muitos casos é mais viável contratar um programador/consultor/grupo que faça a alteração necessária. E como dito acima, às vezes essa é a única solução/oportunidade de não ficar restrito pelas limitações do programa, impactando diretamente os negócios.

Mas mesmo nesta situação, o software livre se apresenta como a melhor solução. Vamos supor que você estivesse usando um software e devido a alguma mudança estratégica nos processos da empresa, você necessitasse de que seu software tivesse duas ou três funcionalidades a mais, para uma total compatibilidade com seus novos processos.

Ou você teria que adquirir um novo software, provavelmente mais caro, devido às funcionalidades extra, ou em caso do software não existir você ficaria entre duas opções: contratar alguma empresa de programadores que criasse desde o zero o software para você (o que poderia ser muito custoso e demorado), ou não fazer nada e voltar à estratégia antiga, visto que nova ficaria impossibilidade de ser posta em ação.

No caso do código-fonte aberto, o trabalho de adaptação é muito mais rápido. Os programadores não partiriam do zero, não reinventariam a roda. Com menos trabalho, menos recursos, e menos dor de cabeça.

Agora mudando de assunto, vamos falar sobre os hackers. A mídia (ainda) usa erroneamente este termo para designar pessoas sem escrúpulo, que se valem de meio eletrônicos para conseguir acesso a informações sigilosas, ou os quais rompem códigos de validação para a pirataria. Não vou me estender sobre as várias terminologias e variações existentes. O termo mais apropriado para o tipo de usuário referenciado pela mídia seria cracker.

Os crackers são os responsáveis pela má fama dos hackers. Hackers de verdade não destroem, e sim constroem. Hackers são pessoas com amplos conhecimentos, inteligência acima da média, e que procuram problemas diversos para solucionar. Seja criando algo novo e útil, encontrando e corrigindo alguma falha (de funcionamento ou segurança), os hackers contribuem para você e eu dispormos de mais facilidades, comodidades, velocidade e segurança.

Essa discussão poderia ir muito mais longe, passando desde citações de textos e sites, princípios de filosofia, indo de Locke a Engels, e expondo pontos de vista como o de o cracker ser um agente do bem, tornando o acesso a pessoas de renda menor a programas aos quais nunca poderiam ter acesso normalmente, sendo assim, uma espécie de Robin Hood moderno - o que não é verdade.

Mas vou ficando por aqui. Talvez numa outra ocasião eu exponha mais a respeito deste assunto. Gostou? Comente. Não gostou? Comente também. Achou "lhufas"? Tá bom, diga sobre o que quer que eu escreva - através de um comentário.

Té+

segunda-feira, abril 09, 2007

Fórmula 1 - 2007

Hoje é que me dei conta, já se passaram duas etapas de fórmula 1 e eu ainda não escrevi nada a respeito.

A temporada começou bem. Em Melbourne, Massa fez bonito, largou em último devido a um problema no carro durante a classificação e chegou na zona de pontuação. Raikonnen fez uma corrida tranquila, apesar de um erro durante às últimas voltas quse colocar tudo a perder. Conterrâneo do Kimi, o Heikki Kovalainen, estreou mal; muito mal e Briatore encontrou um rabo onde empurrar sua frustração.

As BMW's andaram bem, mostrando que o carro se comporta como de gente grande quando não quebra (coitado do Kubica). No geral as matrizes estão mal e as filiais surpreendendo. Super Aguri andando na frente da Honda, Williams andando na frente da Toyota. Parafraseando o Capelli: o poste tá mijando no cachorro.

Aliás, falar que a Honda está mal chega a ser eufemismo. A equipe de Button e Barrichelo está péssima, se comparado à temporada passada onde se firmou como a 4ª força.

A McLaren deu uma renascida e tanto depois de uma temporada conturbada e de resultados tímidos. Trocou os dois pilotos numa tacada só e parece que até os ânimos mudaram por lá. Contando com o bicampeão Fernando Alonso e o estreante Lewis Hamilton, a equipe britânica conseguiu levar seus dois pilotos ao pódio, logo na primeira corrida.

Alonso não é bicampeão mundial à toa, mas Hamilton surpreendeu. Andou forte, deu um calor no asturiano, e mostrou que todo o investimento pessoal de Ron Dennis nele valeu a pena.

O pior acidente em Melbourne, ficou por conta do David "Vaca-Brava" Coulthard, que literalmente atropelou a Williams de Alexander Wurz com seu Red Bull. Coisa feia para o piloto que está a mais tempo na Fórmula 1; e isso também mostra um dos porquês do dito cujo nunca ter sido campeão.

Já em Sepang, na Malásia, segunda etapa do calendário, parece que a McLaren trabalhou bem o carro, e tirou a diferença que houve na primeira etapa. E isso ficou muito nítido na super pole.

Fazia tempo em que eu não via uma classificação tão apertada, decidida na última volta de cada um dos 4 primeiros pilotos. Alonso, Raikonnen e Massa se alternaram na liderança nas últimas voltas. Massa fez a pole position, seguido de Alonso, Raikonnen e Hamilton.

Mas na hora do vamos ver na corrida a história foi outra. Massa largou mal e perdeu a liderança para Alonso logo na primeira curva. Pior, ainda depois perdeu a segunda posição para Hamilton que estava emparelhado com ele desde a saída da segunda curva.

Nesta corrida Hamilton mostrou que chegou à F-1 sem precisar aprender nada. Serviu de escudeiro para Alonso, que abria entre 0,5 a 1,0 segundo por volta. E do meio da corrida em diante apenas administrou a vantagem.

Massa que desesperadamente tentava ultrapassar Hamilton se afobou. Depois de ter tomado um "X" lá pela 4ª volta, saiu da pista na 6ª volta, e perdeu 2 posições, ficando atrás de Heidfeld. Valeu pelo pega que há muito não se via na F-1. Mas pelo menos ele foi homem o suficiente para assumir seus erros no final da corrida.

Depois disso a corrida foi morna que só. Raikonnen não arriscou absolutamente nada. Apenas administrou a corrida e chegou em 3º. Alonso, com toda a vantagem que construiu até a primeira parada, só administrou daí pra frente.

Algumas posições mais atrás foi onde rolou alguma diversão. Wurz fez uma corrida e tanto, inclusive ultrapassando o Coulthard na mesma curva onde Massa errou, demonstrando assim que há mais lugares na pista para ultrapassagens do que por passando por cima.

Por falar em Williams, Rosberg também fez bonito com o que tinha. Até o momento em que quebrou.

Barrichelo também tirou leite de pedra de sua Honda. Largou dos boxes e chegou em 11º, à frente de Button e das Aguris. Mesmo assim a situação continua feia para a Honda que até agora não marcou nenhum ponto.

A Renault continua mandando mal, mas pelo menos dessa vez o Kovalainen não deu tantos motivos para o Briatore sentar-lhe o sarrafo. Novamente tivemos a inversão entre a Williams e a Toyota.

Kubica sofreu com a confiabilidade de sua BMW, mas usou do seu direito de errar. Heidfeld nem sofreu com confiabilidade, e também não errou, ficou em 4º, na frente de Massa, e administrou sua posição a corrida inteira.

Dizem que há uma equipe chamada Spyker. Até agora só vi sinais de fumaça dando indícios de tal existência.

No saldo final, nenhum acidente feio durante a corrida, Raikonnen mostrou que está mais maduro, e Ron Dennis estava feliz como há muito tempo não se via. Pudera, depois de ter esmerilhado a diferença entre Ferrari e McLaren e ver seus dois pilotos fazendo uma dobradinha memorável, não é para menos.

Enfim, ainda é começo do campeonato e ainda tem muita coisa pra rolar. Mas por esse começo está prometendo ser um bom campeonato.

Tem gente que não aprende...

Após o fiasco em rede nacional (americana) durante a apresentação do Windows 98, Bill Gates nunca mais deu sua própria cara a tapa, mas os maus hábitos do sistema operacional continuam a aparecer nas apresentações públicas. Mesmo se você não entende inglês, dá para perceber quando o erro acontece durante a apresentação dos novos recursos do Windows Vista. O pior era a platéia: altos investidores de Wall Street.

Seguem abaixo os dois vídeos, o do fiasco de Bill Gates ao apresentar o Windows 98 e o do Windows Vista.