quarta-feira, maio 23, 2007

Como fazer bem feito

Republished on 20/fev/2010!

Os leitores do meu blog, sabem (se não sabem ou estão chegando agora podem conferir no histórico do blog) que não costumo tratar aqui sobre particularidades da minha vida íntima, nem publicar nada relacionado a sexo.

Mas devido à alta incidência de buscas que não estão de acordo com o perfil deste blog resolvi publicar um how-to, um guia, sobre como agir para que você se torne alguém especial e marcante na cama.

Antes de prosseguir devo fazer muitas considerações e explicações. Em primeiro lugar não sou nenhum ator pornô e nem pretendo ser um profissional do sexo. Gosto de TI e ponto final. Também não sou nenhum Don Juan - mas quem leu a obra sabe qual era o segredo dele: o trato com as mulheres. Tenho 23 anos, sou casado, estudo e trabalho. Minha vida pregressa teve lá suas peculiaridades, mas nada que fuja do comum. Aqui retratarei apenas os pontos em que os homens geralmente falham em observar e cuidar para que se torne especial na vida de uma mulher.

Isso não é um guia de como se tornar um conquistador, ou como fazer ela ir às nuvens em 15 minutos. Simplesmente porque isso seria perda de tempo e recursos - estas soluções mágicas pra gringo ver são furadas, não gaste seu dinheiro e tempo nisso. Como este artigo é público, disponível aberta e gratuitamente a quem queira ler, não ofereço garantias - nada mais faço do que compartilhar minha experiência, paciência e capacidade analítica com o público leitor.

O primeiro passo para se tornar alguém realmente especial é ser sincero. Se você não tem intenções de manter um relacionamento sério, diga isso ou não alimente falsas esperanças dela - no limite o pior que você pode fazer é apenas omitir esta informação. Se ela declarada ou implicitamente não quer algo sério, mas mesmo assim você quer ter uma passagem marcante, sinta-se à vontade de tentar ser por sua conta e risco (pense assim: você já não é, o máximo que pode acontecer é você vir a ser marcante).

Não tenha medo de ser cavalheiresco e galanteador. Aliás o diferencial começa aqui. Elogiar, reparar em pequenas mudanças e detalhes (colar, brincos, maquiagem, cabelo) de forma positiva faz parte. Ter boa educação é imprescindível; bom dia, boa tarde, boa noite, por favor, com licensa... vocabulário em dia. Dizer como ela é (ou está, não sei) bonita, fale do seu bom gosto, charme...

Mas o bom senso deve prevalecer para você não se tornar um chato. Você tem que saber adequar a linguagem e atitudes ao contexto, senão você corre o risco de se passar por piegas demais. Não exagere na dose nem deixe faltar essas coisas.

Higiene e asseio também é fundamental. Estar sempre de banho tomado, barba feita ou bem aparada, desodorante, unhas aparadas, pêlos do nariz, roupas passadas... Não dê uma de metrosexual, mas cuide-se. As chances de você ser marcante por ser péssimo também existem, e a falta do quesito higiene concorre fortemente para isso.

E na hora "H"? Calma, o apressado come cru e seco.

Não pense na hora "H", planeje a hora "H". Uma boa relação sexual começa com um bom dia. Sim, com um simples bom dia. Um grave erro dos homens é não saber preparar a mulher para a relação sexual. Não estou falando de preliminares, estou falando de preparação psicológica. O sexo - o bom sexo - é encarado e sentido de forma diferente por homens e mulheres. Um simples bom dia afetará positivamente mais tarde, ajudará ela a estar mais receptiva.

Claro que outras coisas ajudam. Flores, bombons, cartões, até mesmo bilhetes escritos à mão (cuidado com a ortografia e com a caligrafia) dias antes (se você não é casado suponho que isso seja durante a semana) ajudarão a preparar o lado emocional dela.

Voltando ao dia que já começou com um bom dia (pessoalmente, por telefone, ... dê seu jeito). Hora da ação, ou melhor quase. Hora de aquecer os motores para o grande momento. Leve-a para jantar. Converse, escute muito, elogie ela, seja divertido e gentil. A propósito, não escolha nada muito pesado ou de difícil digestão para comer.

Para beber um bom vinho deve acompanhar (pelo amor de Deus, nada de vinho vagabundo de R$ 3,00). Se você souber combinar vinhos com carnes, massas e saladas melhor ainda. Se você não sabe pesquise no google e aprenda. E vale o mesmo conselho de sempre, sem exageros. Não vá ficar de pileque.

Na verdade o ideal é chamá-la para jantar na sua casa e preparar você mesmo o jantar (homens modernos também tem que ter seus truques na manga). O fato de você preparar a comida para ela fará um diferencial astronômico. Claro que se você não mora sozinho ou, não estará sozinho em casa no horário previsto nem adianta. Aí leve-a para jantar fora.

Se for levá-la para jantar em sua casa nada de toalhas no chão, cesto de roupa cheio, pia entupida de louça, roupas espalhadas pelo quarto, móveis empoeirados, tampa da privada levantada... Arrume sua bagunça.

Enfim depois de um jantar leve e agradável, um vinho e um papo, vocês já devem estar num bom clima. Mas ainda não é a hora "H". Aproveite esse momento você também, afinal a noite deve estar agradável.

Segunda etapa da noite: dança. Sim, dançar. Não precisa ser o Carlinhos de Jesus, nem dominar os passos da salsa. Ela provavelmente também não domina. Se você não sabe dançar não entre em desespero, há como contornar isso.

Evite lugares movimentados. Procure um lugar mais calmo para fazer isso. Se você ou ela ou ambos são duros pra dançar, procure algum lugar onde toque música lenta. O famoso dois pra lá, dois pra cá já é alguma coisa. Aliás o ideal é esse, lugar tranquilo, música entre lenta e moderada.

Se você está em casa, meia-luz, música lenta... a sala de estar costuma ser o lugar ideal para dançar devido ao espaço, ambiência do som... Dois pra lá, dois pra cá... uns passinhos mais arriscados se houver habilidade e entrosamento...

Enfim, não gaste muito tempo com a dança. Só o suficiente para a comida assentar e rolar um esquenta. Isso também serve de dica se você é um pé de valsa.

Sim, finalmente chegamos à hora "H". Hora de ir para um motel ou para um quarto. O tão esperado momento chega. Calma lá, ainda falta muito para os finalmente. Os homens geralmente pulam ou mal fazem as preliminares, e já vão afoitos para "estourar a champagne".

Comece com beijos, carícias, abraços... Não tenha pressa. Um bom banho juntos caí muito bem nessa hora. Durante o banho mais beijos, abraços e carícias.

Voltando à cama, hora das preliminares mais íntimas. E agora é a hora de mostrar do que realmente você é capaz. Beijos, lambidas, mordiscadas, carícias com as mãos, eis suas armas. A pressa será sua inimiga. Procure explorar TODOS os lugares, exceto a vulva em si. Pescoço, orelhas, punhos, dedos e palma das mãos, virilha, pés, entre os dedos dos pés (vocês tomaram banho, certo?), tornozelos... Se ela quiser avançar o sinal antes de você não caia nessa, resista; provavelmente ela nunca experimentou algo tão demorado assim - e será recompensada da forma certa.

Peça gentilmente que ela vire de bruços. Use suas armas nas costas dela. Explore da nuca aos pés. Não esqueça dos flancos no ventre, das virilhas, da parte de trás dos joelhos, coxas, panturrilha, planta dos pés e... volte, faça o caminho de volta! Tente perceber qual é a parte mais sensível do corpo dela e explore mais lá depois, com calma. Deixe ela aproveitar o momento.

Aproveite enquanto ela está de bruços e faça-lhe uma massagem. Use um óleo para massagem, ou um creme hidratante. NUNCA despeje o óleo ou creme direto nela. Passe em suas mãos e depois passe suas mãos nela. Depois passe a massageá-la com seu tórax e braços (sim se besunte... a visão pode parecer ridícula, mas como ela está de bruços mesmo...). Use seu corpo para massagear o dela, acolhê-la, fazê-la se sentir protegida e bem amada.

Depois que ela se desvirar, continue beijando, abraçando, acariciando... Parta então para fazer-lhe sexo oral. Faça até ela atingir um orgasmo. Volte e beije-a...

Então sim, a hora do vamos ver chegou. Vá lá e satisfaça-se. Após você ejacular, continue a festa: faça mais sexo oral nela! Faça até ela ter mais um orgasmo ou você ficar pronto para mais uma rodada.

Não há uma sequencia ou protocolo muito bem definido aqui, nem quantidades que devem ser rigorosamente observadas.

Massagem, mais brincadeiras com carícias pelo corpo, mais um banho.... tudo vale. O importante é a diversão e a satisfação de ambos.

Há coisas interessantes para se fazer como usar uma pedra de gelo, sorvete (não recomendo o uso no inverno!), leite condensado, etc... Isso pode vai ao gosto dos glutões de plantão.

Se quiser saber uma opinião feminina sobre a hora do vamos ver, com qualidade e bom humor, dê uma lida neste post do Blog Já Viu, da Kellen Lopes.

Té+

terça-feira, maio 22, 2007

Para facilitar a vida

Que o miguxês é o mais novo e moderno dialeto digital entre as criaturas com QI abaixo de 70, isso não é novidade. Língua corrente em redutos da internet como flogs e Orkut, o dialeto tem suas origens na época do ICQ e experiências de Gestalt, passando pelo MSN, e depois nas mãos dos emos e fãs do RBD.

Mas a novidade do momento é o Miguxeitor. Disponível na versão on-line gratuitamente pelo seu criador, o Aurélio.

Vale a pena uma visita no blog e no miguxeitor. Risadas garantidas.

Se você faz parte dos seres que usam este dialeto você tem a vantagem de usar esta ferramenta para economizar as teclas shift e x do seu teclado.

Se você não se encontra nesta classe, mas tem dificuldade em falar com filhos/primos/sobrinhos adolescentes, crianças, esta é sua chance de melhorar o diálogo.

té+

segunda-feira, maio 21, 2007

Ampliando os leitores

Eu decidi aumentar a quantidade de leitores do meu blog. Mas como fazer isso?

Escrever coisas mais interessantes como escândalos da Paris Hilton ou contos eróticos?

Transformar este espaço num diário cheio de pensamentos de adolescente, com conflitos emocionais, crises existênciais, e tals (além de fotos da "turma do fundão")? Ou numa emocionante novela autobiográfica (seu eu fizesse isso e colocasse um formulário para doações pravavelmente eu ficaria rico e depois seria processado pela mexicana televisa, sob a alegação de plagiar os roteiros dela)?

Não. Optei por algo mais sutil e palpável. Colocar meu blog nos blogrolls como o Blogblogs e Technorati. Além de linkar o meu blog de lá pra cá, quem usa esses serviços também poderá marcar este blog como um dos seus favoritos usando algum dos links disponíveis na barra lateral.

Também coloquei um link para adicionar o blog no del.icio.us. Já falei sobre este serviço aqui antes. É uma espécie de favoritos on-line. Muito bom para quem acessa muito a internet da faculdade, do trabalho, ou mesmo trabalha com visitas e às vezes precisa lembrar "daquele" site quando está no cliente.

Na verdade existem zilhões desses serviços, mas resolvi colocar apenas para os mais conhecidos.

Também pensei em colocar links para serviços de leitura de RSS on-line, bem como aumentaros distribuídores dos meus feeds, porém essa é uma tecnologia com a qual poucos usuários estão acostumados. Nem por isso os serviços são poucos, também tem muitos sites que provêem este tipo de serviço. Mas isso exigiria uma evangelização dos leitores do meu blog, e disso eu tô correndo.

Se você não sabe o que é RSS e como funciona não sabe quanto tempo da sua vida pode estar disperdiçando. Leia mais sobre o assunto. Garanto que é fácil e faz uma baita diferença na hora de garimpar informações e ler novidades que realmente te interessam.

Té+

segunda-feira, maio 14, 2007

Eu já não entendo mais nada

Eu já não entendo mais nada. Não entendo mais nada de TI, muito menos de economia e de negócios.

Linux é coisa de adolescente nerd, comunista, cheio de espinhas, sem amigos reais, e que acha que pode revolucionar o mundo, além de invadir e roubar computadores de usuários indefesos e inocentes. É coisa do capeta e viola a boa ordem natural das coisas.

E ponto final. Não mais com as palavras em minha boca (ou tela), mas na dos outros:

- Bruno Sayeg Garattoni, colunista do caderno Link do jornal O Estado de São Paulo, e do blog Re:Bit da Super Interessante (Editora Abril), escreveu em seu blog pessoal: "...O esperadíssimo Ubuntu7 ... chega a humilhar o Vista." neste post aqui.

- Sandra Carvalho, o currículo dela é extenso demais para escrever aqui, no seu blog relata um triste episódio, sob o título "Quem é o responsável pela chave do Windows?"

- Ainda na Info leio isso e sua origem, a revista americana Fortune, mais exatamente nesta matéria.

Esta não é uma prova, mas um indício de que atualmente é necessário rever os conceitos, visto que mesmo edições que defendem(iam) a Microsoft e sua política como empresa de TI estão se dobrando frente ao movimento do software de código aberto.

sábado, maio 12, 2007

Serviços gratuitos são bons mesmo?

Como eu havia dito no post anterior, iria me dedicar mais à construção de uma página pessoal e ao meu outro blog.

Bem, não tem como levar meu outro blog a passos largos, visto que seu cunho é muito mais técnico e tal. É preciso escrever ler muito, escrever, revisar, ... Não dá para fazer um post em 10 minutos.

Minha página está no Yahoo!. Está praticamente pronta. Novo layout (mais light, baixo-contraste, muito webstandard), e muito mais conteúdo. Faça uma visita .

Não gosto muito de layouts prontos. Geralmente são uma porcaria. Aqui no blogger até que a coisa é diferente, os layouts oferecem CSS e acesso aos códigos, além de possuir recursos para diversas midias (handhelds e PDA's). Ou seja aqui no blogger a coisa é um pouco mais profissional, certinha.

Melhor que no Wordpress, onde você não pode acessar o código-fonte para incluir um serviço de análise de tráfego básico.

Agora, e as limitações que esses serviços oferecem? O blogger tem poucos recursos (tá certo, é só pra ser blog mesmo). Mas bem que poderiam haver outros serviços integrados. O Orkut não tem enquetes? Por que raios temos que recorrer a serviços externos?

No Yahoo! a coisa é pior. Pra começar eles sequer tem serviço de blog (não, eu não quero criar mais um blog). O Geocities foi um boa sacada que o Yahoo teve anos antes do Google, que ainda engatinha nesse nicho com o Google Pages (ainda em fase de testes e disponível apenas para os EUA). O Google Pages oferece 4 vezes mais espaço (característica marcante), e mais facilidades para edição, que faz lembrar muito um serviço de blog, porém as limitações do serviço são severas e os bugs ainda são abundantes.

O Google Pages não suporta completamente javascript, CSS, e muito menos serviços externos.

O Yahoo! perde apenas em um ponto (muito importante, diga-se de passagem) no suporte a formulários. Sim, formulários do tipo "Fale Conosco" ou "Contato". Hoje vi mais de 60 sites hospedados no Geocities, e todos os formulários que funcionam são de serviços externos (pagos!) ou então o ineficaz link mailto.

Claro que não de se cobrar que estes serviços suportem muita coisa, como bancos de dados (MySQL, Postgre, Firebird,...) e linguagens dinâmicas (PHP, ASP, Cold Fusion, Python,...). Mas a questão é que o Yahoo! afirma que oferece esse tipo de serviço (os dados do formulário são enviados para o e-mail secundário).

O Google já nem diz que suporta formulários. O negócio deles é facilidade para edição e muito espaço - e só.

Então fica a questão: será que terei de recorrer a mais serviços externos? Pelo visto sim.

E onde fica a fidelização do usuário?! Pelo jeito, enquanto os gigantes se debatem e escorregam nessas pequenas coisas, a fidelidade fica indo pelo ralo.

Bem, chega de chorumelas. Tenho alguns cadastros em serviços suspeitos para fazer. E botar meu formulário para funcionar.

sexta-feira, maio 04, 2007

Trabalhando um pouco

Meu outro blog, assim como minha página no Geocities, estão meio jogado às traças.

Assim, vou diminuir um pouco as postagens este mês e trabalhar um pouco neles. As traduções de posts antigos já estão prontas, mas ainda falta escrever alguns artigos sobre programação que prometi, e disponibilizá-los para download em pdf.

Mãos à obra.

Té+

quinta-feira, maio 03, 2007

Reformulando ainda mais

É isso aí. O volume de visitas não anda muito bom, o de participação então nem se fala (a Kellen, autora do Blog Já Viu?! foi uma das poucas boas almas em meses a me levantar o moral).

Tá certo que não sou escritor de contos eróticos, nem sou um piadista de plantão. Mas acho que estava faltando um certo dinamismo nas minhas páginas. Eu estava justamente pensando nisso nos últimos dias, quando li isso no Blog do Aurélio.

Sugeri através de um comentário a implementação de enquetes para deixar a comunicação com os leitores mais fácil. Mas daí surgiu a dúvida: é possível? Por que não fui atrás disso antes?

Então fui. Encontrei alguns sites que forneciam o serviço "digratis", escolhi o melhorzinho (a apresentação de resultados é mais completa e a administração da enquetes é mais agradável), e resolvi testar. O serviço escolhido tinha sido o da Opine Now!, porém o código fornecido por eles não era corretamente reconhecido pelo Blogger (tanto em posts, quanto como um serviço externo na barra lateral). O mico foi eu ter recomendado o serviço para uns amigos sem antes ter testado (que vacilo!). Insisti na idéia. Criei um blog para testes no Wordpress. O parser deles também não reconhecia o código nem por decreto.

Fazer o que? Mudar de opção de prestadora de serviço. O Blogger recomenda uma lista, entre eles o Pollhost, que resolvi testar. No Blogger ele subiu bem, mas no Worpress... Aliás não se pode editar diretamente o código-fonte no Wordpress, e apesar da plataforma oferecer alguns recursos bem interessantes, ainda falta simplicidade para tarefas mais rotineiras.

Depois de tudo isso aqui está. A primeira enquete no Blog do Perdigão, ao lado:

té+

Quem linka quem?

Dando uma olhada rotineira no "blog já viu?!" Reparei que havia uma ferramenta interessante na barra lateral. Uma lista de quem e quantos links há para a página.

O serviço é provido gratuitamente pelo site e-referrer. Me cadastrei e coloquei a lista na barra lateral, abaixo da seção links.

Achou interessante? Faça você também, oras. Não achou? Então por que está lendo até o final do post?

té+